MENU

Alessandro, Chicão e Julio Cesar: as testemunhas da redenção do Timão

Alessandro, Chicão e Julio Cesar: as testemunhas da redenção do Timão

Atualizado: Segunda-feira, 5 Dezembro de 2011 as 1:16

De certa forma, o título do Brasileirão coroa a ascensão do Corinthians desde a queda para a Série B, em 2007. É verdade que de lá para cá o Timão já conquistou o Paulistão e a Copa do Brasil de 2009 e participou de duas Libertadores. Mas esse caneco é certamente o mais importante. Nesse período, por sinal, apenas três jogadores passaram por essa reconstrução: Julio Cesar, Alessandro e Chicão.

Julio Cesar: cercado de dúvidas, goleiro dá a volta por cima com Tite (Foto: Lucas Uebel / Agência Estado) O goleiro, no entanto, só chegou à titularidade no meio do ano passado, depois da saída de Felipe, agora no Flamengo. Mesmo assim, Julio Cesar carregou uma nuvem de dúvidas sobre a sua cabeça. Reserva na época do rebaixamento e também nas conquistas da era Mano Menezes, o camisa 1 deu a volta por cima com Tite. Deixou de lado a desconfiança e brilhou no pentacampeonato alvinegro.

Alessandro: um dos principais líderes do grupo na 

campanha do título brasileiro (Foto: Futura Press) A trajetória de Julio Cesar nesse período é interessante, mas não há dúvida de que entre os três remanescentes do início da reconstrução o mais regular deles é Alessandro. É verdade que o lateral-direito sofreu com algumas lesões nos últimos anos, mas poucas vezes sua presença no time foi questionada. Nesse período, aliás, o camisa 2 tornou-se um dos principais líderes do elenco.

Homem de confiança de Tite, Alessandro contava com o mesmo prestígio com Mano Menezes e Adilson Batista, os outros treinadores que passaram pelo clube de 2008 até aqui. Recentemente, o lateral-direito admitiu que não vive seu melhor momento. É verdade. Mas a fase não tão boa não o impediu de ser o responsável por levantar a taça de campeão brasileiro de 2011 com exclusividade.

Isso só foi possível, aliás, porque Chicão, o outro remanescente daquela época, teve um problema na temporada. Insatisfeito por ter sido colocado na reserva, o zagueiro pediu para não se concentrar com o elenco na véspera do clássico com o São Paulo, no final de setembro. Seu pedido foi atendido, mas ele acabou afastado do grupo por oito rodadas. Voltou, no entanto, como reserva.

Mesmo sem tanto prestígio agora, Chicão tem grande importância na conquista corintiana (Foto: Ag. Estado) Com ou sem indisciplina, o fato é que Chicão tem parcela fundamental nessa ascensão do Corinthians. Nos três títulos anteriores (Série B, Paulistão e Copa do Brasil), o camisa 3 foi titular absoluto. E capitão. Não está com o mesmo prestígio agora, mas sabe que foi importante nesse título brasileiro. Até porque ele, Alessandro e Julio Cesar têm muita história para contar dessa redenção.          

veja também