MENU

Andrés diz que sua prioridade é vetar o Morumbi

Andrés diz que sua prioridade é vetar o Morumbi

Atualizado: Sexta-feira, 27 Agosto de 2010 as 4:12

O presidente Andrés Sanches nunca escondeu que quer logo deixar o comando do Corinthians. Seu mandato termina em dezembro de 2011 e, até lá, ele seguirá exibindo sua sinceridade costumeira. Nesta sexta-feira, em uma feira de estudantes universitários realizada em São Paulo, Sanches falou sobre sua experiência no futebol e na administração de uma grande instituição. Mesmo assim, não perdeu a oportunidade de alfinetar o rival São Paulo e reafirmar o anúncio do novo estádio corintiano para o fim de setembro. Perguntado por jovens universitários sobre as responsabilidades de um presidente de clube, ele não titubeou.

- Minha primeira responsabilidade é não deixar a Copa ir para o Morumbi (risos). A segunda é fazer com que São Paulo não fique sem a abertura. A terceira é promover a alternância de poder no futebol. Corinthians e Flamengo, os dois maiores clubes do país, já são assim - disparou Andrés.

Minutos antes, porém, ele havia adotado discurso pacífico para falar da relação entre os rivais - principalmente com o São Paulo. Ressaltou que queria combater a violência entre as torcidas e promover um relacionamento mais amistoso com o Tricolor.

Prestes a anunciar a construção do tão sonhado estádio para a Fiel Torcida, o mandatário descarta a possibilidade de utilizar a casa corintiana no Mundial de 2014.

- O estádio é do Corinthians e para os corintianos. Já falei isso várias vezes. Terá capacidade de no máximo 45 mil pessoas, o que não serviria para a abertura. Tudo será definido dentro do Conselho - ressaltou Andrés Sanches.

Em vários momentos da sabatina com os estudantes, o presidente corintiano repetiu a frase "É pra eu responder com sinceridade?". Ao sim de quem perguntava, ele soltava frases de efeito e mostrava desgaste com o acúmulo de funções no cargo. Às vésperas do centenário, Andrés, mais uma vez, se disse cansado de tantas responsabilidades.

- Até brinco que a cada dia na presidência do Corinthians fico menos corintiano. Mas podem ficar tranquilos, em 15 de dezembro de 2011 acabou. Quem gostou, gostou. Quem não gostou, não terá mais - disse o presidente.

Por Diego Ribeiro São Paulo

veja também