MENU

Aos 15, Eric Granado leva o Brasil de volta à elite da motovelocidade

Aos 15, Eric Granado leva o Brasil de volta à elite

Atualizado: Terça-feira, 17 Abril de 2012 as 9:39

Ele ainda não tem idade para ter carteira de motorista, mas já acelera com sua motocicleta nas pistas da Europa. O paulistano Eric Granado, de 15 anos, é o terceiro brasileiro na história a disputar a MotoGP, principal campeonato da modalidade. Ao completar 16 anos, em junho, ele ele começará a disputar a Moto2, divisão de acesso à categoria principal, esta atualmente reinada pelo italiano Valentino Rossi, o maior nome da motovelocidade na história.

Por enquanto, o jovem ainda não faz previsões de quando pode ascender à categoria principal do esporte, a Moto GP. “Dependo muito dos resultados que eu conseguir esse ano, que vai ser especialmente um ano de aprendizado”, contou Eric em entrevista ao iG.

Na Moto2, ele correrá pela equipe italiana JIR Motor, e terá como seu companheiro o francês Johann Zarco, que em 2011 foi vice-campeão mundial na categoria 125 cilindradas. “O Johann é bem gente boa. Ele é bem tímido. Não conversa muito, mas em compensação anda bem rápido na pista”, brinca o brasileiro.

Eric começou a pilotar aos seis anos de idade, quando ganhou uma motocicleta de Natal. Seu pai, que também era piloto, foi o principal incentivador. “Quando ele corria, não perdia uma prova, via todas com a minha mãe do lado”, conta. No ano de sua estreia, garoto faturou o campeonato paulista de sua categoria. Ele também foi campeão de diversos campeonatos na Espanha, considerado o país da motovelocidade, e em 2011 ficou em quinto lugar no Campeonato Espanhol.

Na entrevista a seguir, Eric fala sobre como é trazer o Brasil de volta para a elite da modalidade - o último representante do país foi Alexandre Barros, em 2007 - e sobre suas esperanças de um dia correr pela categoria em terras brasileiras. “É um sonho”, definiu o garoto. Ele também comentou sobre sua rotina de treinos e as diferenças entre a motocicleta que usava no Campeonato Espanhol, de 125 cilindradas, e a que usará agora no Mundial, de 600 cilindradas. Confira!

iG: Você não tem idade para ter habilitação de motocicleta, mas corre na segunda categoria mais importante de motovelocidade do mundo. Como você lida com isso?

Eric Granado: Acho tranquilo. Não gosto de andar na rua, porque eu ia ter que andar devagar. Gosto de acelerar quando dirijo - andar na pista é bem mais emocionante que nas ruas. Prefiro ficar em casa ou sair com os amigos.

Como você se sente levando o Brasil de volta à Moto GP?

Eric Granado: É muito legal. Fico feliz de representar o Brasil nesse campeonato de novo, depois do Alex Barros. Depois de muito treino, consegui alcançar esse objetivo. Esse ano participo do Campeonato Espanhol, e também da Moto2, a segunda categoria da Moto GP.

Você disputará o Campeonato Espanhol e o Mundial da Moto2 ao mesmo tempo? Como funcionará isso?

Eric Granado: Vou fazer três etapas do Espanhol. Quando eu fizer 16 anos, em junho, vou poder disputar o Mundial e deixo o Espanhol de lado.

E os que os dois campeonatos têm de diferente?

Eric Granado: A moto é a principal diferença. A moto do campeonato espanhol é uma 125 cilindradas, com dois tempos, e pesava 75 kg. Já a do Mundial é de 600 cilindradas, quatro tempos e pesa 130kg. Eu peso 65kg. A potência do motor muda, e os pneus que a gente usa também. Isso tudo faz com que eu tenha de pilotar de um jeito diferente. Sou novo na categoria, vou conseguir mais confiança com o tempo.

Qual é o seu objetivo principal neste ano, competindo na Moto2?

Eric Granado: Meu objetivo é sempre ganhar, mas 2012 será um ano de aprendizagem. Vou tentar conseguir os melhores resultados possíveis. Espero ainda ganhar alguma etapa do Campeonato Espanhol.

Você faz uma previsão de quando pode ir para a categoria principal da MotoGP?

Eric Granado: Dependo muito dos resultados que eu conseguir esse ano. Não quero arriscar uma previsão.

Você faz uma previsão de quando pode ir para a categoria principal da MotoGP?

Eric Granado: Dependo muito dos resultados que eu conseguir esse ano. Não quero arriscar uma previsão.

Como está sendo o seu contato com a equipe? E com o seu companheiro, o Johann Zarco?

Eric Granado: Ainda estou me acostumando com a equipe, com a maneira de funcionar nos boxes. É tudo novo, está sendo diferente, tenho uma boa estrutura. Já o Johann é bem gente boa. Ele é bem tímido. Não conversa muito, mas em compensação anda bem rápido na pista.

Como você se prepara para as provas?

Eric Granado: No Brasil, eu faço toda a parte de nutrição, acompanhamento médico, academia e pilates. Também pratico motocross quando dá. Na Itália, eu também pratico Super Moto.

O que é a Super Moto?

Eric Granado: Super Moto é uma competição que usa uma motocicleta de motocross, com pneus para andar no asfalto, em pistas de asfalto e terra.

No Brasil você treina com a moto de corrida?

Eric Granado: Minha moto fica na Europa. Por enquanto, estou indo e voltando para disputar as provas - tenho que fazer isso até acabar o Ensino Médio. Até cheguei a procurar a escola lá, mas ia ser difícil a adaptação. Preferi ficar por aqui.

O que você teve de sacrificar pelo esporte?

Eric Granado: Tenho de manter uma alimentação regrada, e sinto de falta de sair com os amigos. O que eu mais queria era poder ter tempo para andar de moto, estudar, e me divertir com eles.

Como foi seu começo na motovelocidade? 

Eric Granado: Meu pai também pilotava motos. Na época que ele corria, eu via todas as provas dele. Quando eu fiz quatro anos, ele me levou num estacionamento que alugava motos. Subi na moto e tomei um baita capote. Dois anos depois, Papai Noel (ri) me deu uma moto de Natal e comecei a disputar campeonatos por aí.

Qual é o seu circuito favorito? 

Eric Granado: Jerez de la Frontera, na Espanha. É um circuito que tem muitas curvas de alta velocidade. Gosto de pistas rápidas - não curto muito ficar freando bastante.

Quem é seu ídolo no esporte? E fora dele?

Eric Granado: Valentino Rossi. Ayrton Senna é outro grande ídolo meu. Gosto muito ainda do Djokovic, que joga tênis, e do Lance Armstrong, do ciclismo.

O GP Brasil de Motociclismo não é disputado desde 2004. Você sonha em um dia correr pela Moto GP no Brasil?

Eric Granado: Estamos lutando bastante para viabilizar uma etapa do mundial com a Federação Brasileira de Motociclismo. A ideia seria criar uma pista nova aqui, ou levar a etapa para Interlagos. Seria um grande sonho.

veja também