MENU

Aos 17, Medina tem a chance de ser o mais jovem brasuca na elite mundial

Aos 17, Medina tem a chance de ser o mais jovem brasuca na elite mundial

Atualizado: Terça-feira, 7 Junho de 2011 as 10:07

Gabriel Medina, campeão do WQS de Imbituba

(Foto: Daniel Smorigo/ASP)     Em 2005, então com apenas 18 anos, Adriano de Souza, Mineirinho, tornou-se o mais jovem brasileiro a garantir classificação para a elite do surfe. Nesta temporada, um outro jovem paulista está perto de quebrar o recorde do país no Circuito Mundial. Aos 17 anos, Gabriel Medina, dono de duas notas 10 no mesmo dia e campeão do WQS prime de Imbituba, segue os passos do conterrâneo número 1 do mundo.

Depois de Mineirinho, outros dois brasucas se classificaram para a elite com pouca idade: Jadson André, em 2009, com 19 anos, e Alejo Muniz, no ano passado, aos 20. E o líder do ranking está na torcida por Medina.

- Nossa! Feliz da vida de ver o Medina ganhar o na Vila. Pelo jeito vamos ter novidades no meio do ano - disse Mineirinho, que assumiu a ponta do Circuito Mundial depois de vencer o Rio Pro.

Medina ocupa a 27ª posição do ranking unificado (o surfe tem dois rankings). Para entrar na elite, o brasileiro tem de se manter entre os 32 da lista até o término da sexta das 11 etapas do Circuito Mundial, em Nova York, em setembro. Haverá uma troca: os 32 primeiros do ranking mundial serão substituídos pelos do unificado.

Até lá, Medina poderá aumentar sua pontuação pela divisão de acesso mundial (WQS). São sete etapas de alto nível – três primes e quatro seis estrelas. A primeira delas é o prime de Ericeira, em Portugal, a partir do dia 14.

Se o corte fosse hoje, o Brasil teria oito surfistas na elite. Entre eles, os cinco que hoje já fazem parte do grupo: Mineirinho, Jadson André, Heitor Alves, Alejo Muniz e Raoni Monteiro. Medina, Miguel Pupo e Willian Cardoso se juntariam.

- Ainda não parei para pensar sobre isso. A ideia é ir pra Europa agora correr todos os campeonatos importantes para ver se consigo me classificar. Mas, seja o que Deus quiser. Se eu entrar agora na metade do ano será muito bom, mas caso não consiga, vou continuar tentando. Eu sou muito jovem ainda e tenho um longo caminho pela frente - disse Medina.          

veja também