MENU

Apesar da grande oferta, ponteiras viram dor de cabeça na seleção

Apesar da grande oferta, ponteiras viram dor de cabeça na seleção

Atualizado: Sábado, 16 Julho de 2011 as 8:41

A ponteira Mari ataca na vitória sobre o Japão por

3 sets a 0 em Brasília (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

  Mari, Paula Pequeno, Jaqueline, Natália, Fernanda Garay, Sassá. É grande a lista de opções que o técnico José Roberto Guimarães tem para ponteira da seleção brasileira. Mas, recentemente, a posição tem dado preocupação e trabalho para o treinador. Neste sábado, Mari e Paula Pequeno serão titulares no jogo contra a Itália, às 10h (de Brasília), no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília. A Rede Globo transmite o confronto ao vivo.

Em 2010, Mari sofreu o rompimento total do ligamento cruzado do joelho direito e Paula Pequeno fraturou o osso lateral (maléolo) do tornozelo esquerdo. As duas ficaram fora do Campeonato Mundial. Em 2011, Natália passou por uma cirurgia para retirar um tumor benigno na canela esquerda e Jaqueline perdeu o bebê no início da gravidez.

- Talvez seja a posição que deu mais problema nesse ciclo, desde contusões como a Mari e a Paula no ano passado, o início da gravidez da Jaqueline, a Natália. Só aí já são quatro jogadoras em menos de um ano – lamentou Zé Roberto.

Sem poder contar com Natália e Jaqueline, o treinador ficou sem Mari para a disputa da Copa Pan-Americana depois que a jogadora pediu dispensa do torneio. Fernanda Garay acabou ganhando uma chance ao lado de Paula Pequeno e deu conta do recado. Mas, no retorno ao Brasil, ela acabou indo para a seleção militar, que disputa os Jogos Mundiais Militares no Rio de Janeiro. Mari voltou ao time.

José Roberto Guimarães tem dor de cabeça para escolher ponteiras na seleção (Foto: Alexandre Arruda/CBV)

  Uma das soluções foi testar novas jogadoras. Suelle se juntou ao grupo na Copa Pan-Americana. Depois de disputar a Copa Yeltsin com a seleção de novas, Tandara ganhou uma oportunidade na equipe principal na Copa Internacional Feminina de Vôlei.

- Eu acho que a Suelle foi interessante. Ela tem bons fundamentos, mas eu até falei com ela que ela precisa melhorar a potência de ataque. A Tandara pode jogar na posição 4 (entrada de rede) e na 2 (saída de rede), mas precisa trabalhar mais o passe. Ela é outra que tem bons fundamentos também – analisou o treinador.

Até a oposto Juliana Nogueira entrou na mira do técnico, que não descarta testá-la na posição, mudança que aconteceu com Mari e Natália, por exemplo.

- Eu acho que todas têm que treinar passe. Isso é algo que só agrega e as melhora como jogadoras – destacou o técnico.          

veja também