MENU

Após cancelamento, Williams afirma que não iria disputar o GP do Bahrein

Após cancelamento, Williams afirma que não iria disputar o GP do Bahrein

Atualizado: Sexta-feira, 25 Fevereiro de 2011 as 10:58

Adam Parr, presidente da Williams, disse que sua equipe deveria boicotar o GP do Bahrein, caso ele não fosse cancelado. Na segunda-feira, o país árabe tomou a decisão após uma série de protestos e a repressão da polícia aos manifestantes, que matou três pessoas na última quinta-feira e deixou muitos feridos na capital Manama. As atividades da GP2 Ásia no fim de semana passado foram canceladas porque os médicos da categoria foram chamados pelos hospitais para ajudar.

- A decisão tomada pelo rei e pelo príncipe do Bahrein foi a mais acertada. Mesmo que eles não se decidissem, não acho que a Williams teria ido ao GP. Acho que as outras equipes da F-1 tomariam a mesma decisão. Se tivéssemos ido, a situação seria pior, pois existiria um alvo para os protestos e a imprensa internacional presente - diz Parr, em entrevista ao site da revista inglesa "Autosport".

Bernie Ecclestone, chefe comercial da Fórmula 1, e os organizadores do GP do Bahrein já deixaram claro que pretendem fazer com que a corrida retorne logo ao calendário desta temporada. Parr disse que existe uma tentativa para encaixar a prova ainda em 2011, mas a situação política do país será decisiva para a decisão, assim como o clima na região.

- Acho que todos vão tentar recolocar a corrida no calendário, mas não estou certo por causa do tempo. Ficará complicado porque já temos vários deslocamentos programados. Mas é claro que a situação política tem de melhorar. Não estou certo se teremos outra data no momento.    

veja também