MENU

Após conselhos de Renato Gaúcho, Felipão reforça: 'Adriano não é um 9'

Após conselhos de Renato Gaúcho, Felipão reforça: 'Adriano não é um 9'

Atualizado: Quinta-feira, 3 Março de 2011 as 10:35

Os quatro gols de Adriano Michael Jackson na goleada por 5 a 1 sobre o Comercial-PI, nesta quarta-feira, não iludem o técnico Luiz Felipe Scolari. Apesar de reconhecer a boa fase do atacante, que marcou seis vezes nas últimas três partidas, Felipão fez questão de frisar que não é ele o camisa 9 que o clube tanto busca. Baseado na convivência e também nas dicas de um velho amigo, o técnico afirma que as características de Adriano não são compatíveis com a posição.

O amigo em questão é Renato Gaúcho, hoje técnico do Grêmio. Em 2010, ele trabalhou com Adriano no Bahia e fez do atacante uma estrela na Série B do Campeonato Brasileiro. O jogador fez 15 gols na competição e chamou a atenção dos clubes de São Paulo e Rio de Janeiro. Mesmo com o instinto goleador, Felipão recebeu a informação de que o atacante não pode jogar fixo na área.

- Ele jogou no Bahia, então já falei com o Renato Gaúcho, que foi quem o levou para lá. Perguntei se poderia utilizá-lo como um 9 e o Renato disse não, porque ele não sabe jogar de costas. Adriano não é um 9. O Renato já o conhece há mais tempo e tenho uma confiança muito grande nele. Adriano foi um dos goleadores do Bahia entrando da ponta para o meio. Agora fez seis gols em três jogos, mas não adianta querer colocar nele uma característica que não é a dele - alertou Felipão.

Sem a perspectiva de conseguir um centroavante até esta quinta-feira, quando se encerra o prazo de inscrições para o Campeonato Paulista, Felipão prefere apostar em dois garotos formados na base do Palmeiras: Vinícius, que integra o elenco desde o ano passado, e Miguel, recém-integrado ao grupo. O clube ainda cogita a contratação de Ricardo Bueno, do Atlético-MG, mas o clube de Belo Horizonte não aceita uma negociação por empréstimo, fato que dificulta a investida palmeirense.

- Temos de trabalhar com os meninos que vieram dos juniores, Vinícius e Miguel. Este nunca nem participou de um jogo profissional. Mas é o que tem no momento, então vamos embora com esses - disse Felipão.    

veja também