MENU

Após desistir de Kleber, Fla volta ao Plano B para o ataque: André

Após desistir de Kleber, Fla volta ao Plano B para o ataque: André

Atualizado: Quarta-feira, 13 Julho de 2011 as 9:32

O Flamengo coleciona novelas com finais infelizes. Depois de não fazer força por Vagner Love, esfriar o romance com André e desistir de Kleber, o Rubro-Negro se vê em contagem regressiva na busca pelo reforço prometido para o ataque. Dentro de sete dias, a janela de transferências do exterior será fechada. No mercado nacional, o tempo também é adversário. Passadas nove rodadas do Brasileirão, muitos jogadores já disputaram o mínimo de sete partidas por seus clubes e não podem mais sair para outras equipes da Série A, conforme regulamento da CBF.

Entre um fracasso e outro, a cúpula do futebol estuda um quarto nome e, com pressa, volta ao Plano B. Das investidas feitas, André é o único caso que ainda não foi encerrado pela diretoria. Apesar de ter sido deixado em segundo plano durante as negociações do Flamengo com Kleber, o atacante, que pertence ao Dímano de Kiev, continua nos planos.

          O técnico Vanderlei Luxemburgo aprova a contratação do ex-santista. Para o técnico, vale a pena a diretoria rubro-negra fazer nova tentativa para contratar o jogador de 20 anos. Ao contrário do caso Kleber, Luxa participa diretamente do negócio. O nome do Gladiador fora levantado pela presidente Patricia Amorim e pelo vice de finanças Michel Levy. O treinador deu apenas o aval técnico.

Na semana passada, André embarcou para Kiev com a intenção de definir seu futuro. O contrato com os ucranianos termina em agosto de 2015, e o clube só aceita vendê-lo por um valor próximo a R$ 18 milhões. Representantes do atleta disseram que um outro time brasileiro – possivelmente o Atlético-MG - teria apresentado proposta bem superior à do Flamengo. Inicialmente, o Fla acenou com uma oferta de R$ 14,3 milhões. Depois, propôs a troca simples por Diego Maurício. Os números apresentados não agradaram.

Com Love, pouco esforço

Uma proposta, uma recusa e nenhum novo contato. Se mantém o desejo de ter André, o Flamengo fez esforço praticamente zero para ter Vagner Love. O clube se propôs a pagar ao CSKA € 5 milhões (R$ 11,6 milhões) parcelados por 70% dos direitos econômicos do Artilheiro do Amor, de 27 anos, cujo contrato termina em 2014. Os russos, no entanto, não aceitaram.

No mês passado, Love explicou ao GLOBOESPORTE.COM a negociação fracassada com o Fla. Segundo o jogador, o CSKA recusou a proposta, mas estava disposto a negociar. O presidente do time russo, Eugeny Giner, chegou a pedir uma reunião para o final do mês de maio, mas nunca recebeu uma resposta dos rubro-negros, que se concentraram em André a pedido de Vanderlei Luxemburgo. A opção do treinador deixou feridas no Artilheiro do Amor.

- O valor seria dividido em parcelas, o Flamengo daria prioridade para o CSKA comprar jogadores de até 19 anos, jogaria um amistoso aqui na Rússia. O presidente do CSKA não aceitou, mas disse que estava aberto a negociar. O Flamengo nunca retornou o contato. Depois de um tempo, o Levy procurou meu empresário e disse que o Flamengo não ia mais tentar me contratar, pois o Vanderlei preferia o André. Sempre demonstrei a vontade de jogar no Flamengo, mas quero deixar bem claro que posso procurar outro lugar para jogar no Brasil, sem problema nenhum. Sou profissional, onde eu estiver vou honrar a camisa. Este é um assunto encerrado – afirmou.

Citado por Love na época, o vice de finanças Michel Levy disse que o descaso russo travou o acerto com Love.

- Nem responderam.

O atacante chegou a receber a garantia dos russos de que seria negociado no meio do ano por uma oferta próxima a R$ 17,6 milhões e chegou a ficar no banco de reservas por três jogos para que o CSKA fosse testado sem ele.

  Novela de quase um mês com Kleber O Rubro-Negro manifestou interesse pelo jogador em 18 de junho. O vice de finanças Michel Levy e a presidente Patricia Amorim se reuniram e chegaram ao nome. Uma proposta foi formalizada e enviada ao presidente do clube paulista, Arnaldo Tirone. Nela, o Flamengo ofereceu € 3 milhões (aproximadamente R$ 7 milhões) por 50% dos direitos econômicos do Gladiador. A outra metade pertence ao Cruzeiro. Era apenas o capítulo de abertura de uma novela que se arrastou por quase um mês.

Diante da recusa da primeira oferta, o Flamengo manteve o interesse e acenou com a possibilidade de dobrar a proposta. Seriam necessários cerca de R$ 14 milhões para tirar o Gladiador do Palestra Itália. O Palmeiras, por sua vez, alegou que os interessados teriam de pagar R$ 143,6 milhões.

Nos últimos dias, enquanto Kleber e o vice-presidente de futebol do Palmeiras, Roberto Frizzo, trocavam farpas via imprensa, os dirigentes rubro-negros subiram o valor da proposta para R$ 8,8 milhões e apostaram numa generosa oferta salarial para seduzir o atacante: R$ 600 mil. Nesta segunda-feira, o Gladiador disse que a "chance de ir para Flamengo era zero", mas bateu na direção do Verdão e não encerrou a polêmica.

A presidente Patricia Amorim, que em maio chegou a dizer que pensava no uruguaio Diego Forlán e no holandês Seedorf como reforços, vai ter de se esforçar para não repetir o equívoco do ano passado, quando contratou Deivid e Diogo no último dia de inscrições e pagou mais caro por isso. Nesta terça-feira, Michel Levy afirmou que Carlitos Tevez é mais uma possibilidade para o ataque rubro-negro. O argentino está nos planos do Corinthians, que ofereceu ao Manchester City € 40 milhões (R$ 88,3 milhões) pelos direitos do atleta.            

veja também