MENU

Após dura estrada, Juliana e Larissa miram recorde de Behar e Shelda

Após dura estrada, Juliana e Larissa miram recorde de Behar e Shelda

Atualizado: Quarta-feira, 22 Dezembro de 2010 as 8:30

Os números não param de crescer no currículo de Juliana e Larissa. Só em 2010, foram 18 títulos – sete etapas do Circuito Mundial e 11 do Brasileiro. Em seis anos, a dupla já soma 790 vitórias e recordes, muitos recordes. Depois do pentacampeonato mundial e de superar a marca das americanas Walsh/May - até então maiores vencedoras do campeonato, com 36 altos de pódio em etapas -, o que mais a parceria poderia querer para a temporada de 2011?

- Ih, está difícil pensar além do que já fizemos, né? (risos) Mas acho que temos que evoluir sempre. Então, quem sabe o hexa, hepta, octa e por aí vai – brincou Larissa.

Caso a dupla conquiste o sexto título do Circuito Mundial no próximo ano, igualará o recorde de Adriana Behar e Shelda. Em 2010, no entanto, outras marcas já deixaram Juliana e Larissa satisfeitas. Com a vitória em Kristiansand, na Noruega, que garantiu o penta antecipado, elas entraram para a história da competição com o maior número de medalhas de ouro consecutivas: oito. Além disso, chegaram à marca de 40 vitórias seguidas e bateram a série invicta de 39 partidas obtida também por Adriana Behar e Shelda em 2002. Larissa ainda conquistou o 50º título brasileiro da carreira e se igualou a Emanuel.

Ao relembrar a trajetória da dupla que começou em 2004, Juliana fica emocionada. Durante a apresentação da música “A estrada”, do cantor Toni Guarrido, no Prêmio Brasil Olímpico, a jogadora chorou ao ouvir o verso “Você não sabe o quanto eu caminhei para chegar até aqui”. Depois de passar por uma cirurgia no joelho, que a tirou dos Jogos de Pequim-2008, a atleta comemorou a consolidação de sua volta por cima.

- Essa música é muito forte. Fico emocionada mesmo. Foi um ano maravilhoso para nós duas. Só temos a agradecer por tudo o que recebemos e pensar no próximo. Não ganhamos o prêmio de atletas do ano, mas não considero isso uma derrota. Foi apenas uma escolha do júri. Já somos muito vitoriosas em nossas vidas – afirmou.

Antes de deixar a plateia do Brasil Olímpico, Juliana ainda ouviu Toni Guarrido cantar a música do grupo O Rappa, “Pescador de Ilusões”, que começa com o verso “Se meus joelhos não doessem mais”, e brincou:

- Ah, corrigindo. Essa é a minha música (risos).

veja também