MENU

Após goleada, Carpegiani tenta juntar os cacos e já pensa no Botafogo

Após goleada, Carpegiani tenta juntar os cacos e já pensa no Botafogo

Atualizado: Segunda-feira, 27 Junho de 2011 as 9:38

A semana do técnico Paulo César Carpegiani no São Paulo não será nada fácil. Se não bastasse a goleada sofrida por 5 a 0 para o Corinthians, o treinador será obrigado novamente a mudar a equipe, desta vez para o jogo de quarta-feira, contra o Botafogo, marcado para as 21h50m no estádio do Morumbi. Ele novamente não deverá contar com o zagueiro Rhodolfo, machucado e com os volantes Carlinhos Paraíba e Wellington, ambos suspensos.

Rhodolfo ainda não está 100% recuperado de um estiramento muscular sofrida na coxa esquerda. O camisa 4 fez tratamento intensivo durante toda a semana, mas não conseguiu se recuperar a tempo de enfrentar o Corinthians. Como haverá apenas um treino tático antes do duelo do meio de semana, Carpegiani não quer correr o risco de forçar a entrada do jogador e o perdê-lo por ainda mais tempo.

Carlinhos Paraíba foi expulso no primeiro tempo da partida contra o Corinthians. Já Wellington levou o terceiro cartão amarelo na segunda etapa. Carpegiani normalmente arma seu time com um volante de pega e outros dois que saem para o jogo. Para a vaga de Wellington, ele tem o retorno de Rodrigo Souto. O problema é quem utilizar na vaga de Carlinhos, já que Rodrigo Caio, que seria a opção imediata, não tem a mesma qualidade na saída de bola pela esquerda.

Carpegiani tem problemas para armar o time para quarta-feira  (Foto: Mario ângelo / Agência Estado)

  Quem também volta ao time é o lateral-esquerdo Juan, que cumpriu suspensão diante do Corinthians. Com isso, Luiz Eduardo retornará para a zaga na vaga de Bruno Uvini, que não foi bem no clássico de domingo. Do meio para a frente, como ele segue sem contar com Lucas, a tendência é que ele mantenha o trio formado por Marlos, Dagoberto e Fernandinho.

Carpegiani não esconde a preocupação com o pouco tempo de preparação para a próxima partida, principalmente pelo aspecto psicológico da equipe, que foi muito afetado após a goleada sobre o rival.

- Pagamos um preço muito alto, é uma derrota que custou caro. Temos que lamber as feridas, temos jogo na quarta, tenho que encaminhar uma equipe e novamente terei desfalques. É preciso ter cabeça fria porque tenho que remontar um time e não vai ser fácil - ressaltou o treinador são-paulino.          

veja também