MENU

Após o 100º gol, Ceni vê rival aplicar maior derrota da carreira

Após o 100º gol, Ceni vê rival aplicar maior derrota da carreira

Atualizado: Segunda-feira, 27 Junho de 2011 as 12:02

O futebol é o único esporte que mostra enormes reviravoltas em tão pouco tempo. Que o diga Rogério Ceni. No último dia 27 de março, na Arena Barueri, em jogo válido pelo Campeonato Paulista, o goleiro e capitão são-paulino foi herói da vitória por 2 a 1 sobre o Corinthians, partida que, além de celebrar o incômodo fim de um jejum de 11 jogos sem ganhar do rival, marcou o centésimo gol de sua carreira. Três meses depois, já pelo Brasileirão, o camisa 1 viu o rival atropelar sua equipe por 5 a 0 e ainda levou um frango no quinto gol alvinegro, marcado por Jorge Henrique.

Ceni lamenta um dos gols marcados por Liedson no Pacaembu (Foto: Mario Ângelo / Agência Estado)

  Foi a sétima vez na carreira que Rogério Ceni levou cinco gols em um mesmo jogo. Em termos de tentos sofridos, pode-se dizer que a goleada do último domingo foi a maior da carreira, já que ele esteve em campo durante os 90 minutos. No Campeonato Brasileiro de 2001, o São Paulo foi goleado por 7 a 1 para o Vasco, mas Ceni atuou por apenas dez minutos, até ser expulso pelo juiz Carlos Eugênio Simon por colocar a mão fora da área. Alencar entrou no seu lugar e levou todos os gols vascaínos.     Veja a lista das maiores goleadas sofridas por Rogério Ceni

  DATA ADVERSÁRIO CAMPEONATO PLACAR

20/8/1998 Cruzeiro Mercosul 1 x 5

31/7/1999 Boca Juniors (ARG) Mercosul 1 x 5

6/2/2000 Flamengo Rio-São Paulo 2 x 5

25/1/2001 Fluminense Rio-São Paulo 1 x 5

8/7/2001 Flamengo Copa dos Campeões 3 x 5

27/4/2003 Paysandu Brasileiro 2 x 5

26/6/2011 Corinthians Brasileiro 0 x 5

    A tarde de Rogério Ceni não foi fácil desde o início. Com um time muito desfalcado, ele viu muitos garotos à sua frente. Com um minuto, ele já fez uma grande defesa em chute cruzado de Paulinho. No restante do primeiro tempo, apesar da maior posse de bola corintiana, a marcação são-paulina manteve-se firme. A história da partida para o São Paulo e principalmente, para o seu goleiro começou a mudar aos 40, quando Carlinhos Paraíba foi expulso. No lance, ao reclamar com o juiz Rodrigo Braghetto, ele foi advertido com o cartão amarelo.

Com um homem a menos, o São Paulo foi atropelado no segundo tempo. Ceni foi vazado pela primeira vez logo a um minuto, em golaço de Danilo. Logo depois, o camisa 1 fez grande defesa em chute cruzado de Jorge Henrique. Em desvantagem, o Tricolor mal assimilou o primeiro golpe e logo levou o outro. Aos oito, após cobrança de escanteio, o goleiro ainda fez milagre em cabeçada de Paulinho ao espalmar. Na sobra, Liedson foi mais rápido que a defesa adversária e só empurrou para as redes.

O pior só estava por vir para Ceni que, aos 14, viu Ralf acertar uma pancada de fora da área na sua trave esquerda. Com o passar do tempo, o Tricolor ainda se expôs mais e o goleiro virou um mero refém. No minuto seguinte, Liedson, após se livrar como quis de Xandão, fuzilou o capitão são-paulino que nada pode fazer: 3 a 0. Logo depois, uma cena ocorrida em Barueri se repetiu: falta para o Tricolor na entrada da área. A torcida corintiana, em coro, pediu que Ceni fosse bater a falta. O camisa 1, no entanto, não deixou a sua meta para fazer a cobrança.

O passeio alvinegro continuou e, aos 34, em rápido contra-ataque, Liedson fez mais um: 4 a 0. O golpe de misericórdia foi dado por Jorge Henrique dois minutos depois. Ele arriscou chute de fora da área, a bola quicou no gramado e enganou o goleiro são-paulino, que falhou e levou um frango. Fim de uma tarde que Rogério Ceni vai demorar muito tempo para esquecer.

Indignado, Ceni não quis conversa com os jornalistas. Na saída do gramado, em rápida declaração, reclamou muito do juiz Rodrigo Braghetto, responsabilizando-o pela goleada sofrida. Depois, na saída do vestiário do Pacaembu, pediu para não falar. Líder maior do time, o capitão terá muito trabalho e pouco tempo para colocar os nervos dos companheiros no lugar, já que na quarta-feira a equipe buscará a reabilitação no Campeonato Brasileiro contra o Botafogo, em partida marcada para às 21h50m, no estádio do Morumbi.        

veja também