MENU

Após se irritar, Luxa diz que nunca vetou Adriano

Após se irritar, Luxa diz que nunca vetou Adriano

Atualizado: Sábado, 19 Março de 2011 as 9:21

Minutos após se irritar e ameaçar deixar a coletiva de imprensa caso os jornalistas insistissem no assunto Adriano, Vanderlei Luxemburgo recuou e admitiu a possibilidade de contar com o atacante. Em entrevista ao programa ‘Show do Apolinho’, da Rádio Tupi, no fim da tarde desta sexta-feira, o treinador negou veementemente que tenha vetado a contratação do Imperador e deixou espaço para especulações.

No entanto, o assunto mesmo parece estar mexendo com o emocional do treinador. Ao mesmo tempo em que diz não haver veto, Luxa ressalta que esse tema já deveria estar encerrado após o primeiro posicionamento dele e da diretoria rubro-negra. Em várias oportunidades, Luxemburgo fez questão de ressaltar que o ‘assunto Adriano’ não cabe nesse momento, pois o atacante está impedido de jogar, devido a uma lesão no ombro direito, e salientou que nunca pensou em deixar o Flamengo: "Não seria inteligente".

Ainda sobre Adriano, Luxemburgo ressaltou não ter nada contra o atacante, que ele ainda não conhece, mas espera "tomar uma cervejinha" com o Imperador na festa de aniversário de Ronaldinho Gaúcho, no domingo. O problema para o acerto, segundo Luxa, seria a filosofia implantada por ele no Flamengo. "Se ele se encaixar na filosofia implantada no clube, não vejo nenhum problema".

Discurso bem diferente do adotado no último dia 10, quando afirmou que Adriano estava fora da filosofia adotada no Flamengo e que não seria contratado. A decisão, segundo ele, havia sido tomada em conjunto com Patricia Amorim. No dia seguinte, o clube divulgou nota oficial informando que, no momento, o atacante não fazia parte dos planos.

Enquanto isso, Adriano segue no Rio de Janeiro à espera de um convite para defender o Flamengo. O jogador não esconde sua vontade de retornar ao clube carioca, mas alertou que tudo tem um limite. O atacante já recebeu uma proposta do Corinthians e foi sondado pelo Atlético-MG.

Decisões

O futebol é decidido em conjunto com a diretoria do Flamengo, com a presidência. Não existe isso de que o Vanderlei manda no futebol. A gestão do futebol é minha, quero ter toda a gerência do meu trabalho, mas nunca extrapolando e me tornando dono do clube. A presidência e a diretoria são responsáveis sim pelas contratações, não só a do Ronaldinho, como a do Thiago Neves, em conjunto com a comissão técnica, em consenso. O Luxemburgo é responsável pela gestão do futebol, mas contratação passa pelo crivo maior que a o da presidente Patrícia Amorim, que é quem manda no clube. Se a presidente amanhã quiser contratar o Adriano, o Joaquim ou o Manoel, ela vai me comunicar. É um direito que ela tem.

Desconforto

Temos um equilíbrio muito grande, tenho conversado muito com ela. A discussão disso aí (contratação do Adriano) não deveria mais estar na pauta. Mas ainda está vivo, trazendo desconforto desnecessário para todo mundo, mas é uma realidade do futebol. Até porque tem muitos interesses, inclusive da própria imprensa que isso exista, porque senão não tem notícia. Por isso é normal que a imprensa tenha isso tipo de discussão, e você tem que aprender a viver com isso com tranqüilidade. Para mim já passou, e nós não temos que ficar discutindo isso a toda hora. Nós temos o nosso posicionamento. A presidente é mandatária no clube. Ela sabe o que está fazendo. É um consenso entre nós.

Adriano

O jogador que chegar ao Flamengo tem de se encaixar na filosofia. Se ele se encaixar na filosofia implantada no clube, não vejo nenhum problema. Se ele teve problema de aquilo e aquilo outro,  foi uma situação para trás. Para frente, cada um sabe das suas responsabilidades e vai ter de cumprir com aquilo que é determinado pelo clube"

Vanderlei Luxemburgo, sobre Adriano

A discussão não cabia, porque não cabe neste momento. O jogador não tem condições de jogar, está vindo de uma recuperação. Eu tenho que preservar os jogadores que vão entrar no domingo contra o Cabofriense, que vão disputar a Taça Rio, disputar a Copa do Brasil para ganhar a competição. O Adriano, infelizmente, mesmo que fosse contratado não poderia (jogar). Só ia criar ‘O Adriano está aqui e vai entrar no lugar de quem?’. Aí ia ter essa discussão. Por isso que eu acabei com essa discussão. Mas o pessoal caminhou para um lado jogando para mim toda a responsabilidade, aonde não me pertence a responsabilidade. Pertence a mim e a presidente do clube, porque eu sou o gestor do departamento de futebol e ela é presidente do clube, a mandatária. Então essa responsabilidade é minha e dela, que é um consenso que existe sobre o Adriano. Não tem nada contra o Adriano. É com a nossa filosofia que implantamos aqui no clube neste momento. Nada com o Adriano.

A filosofia do clube está implantada. O jogador que chegar no Flamengo agora tem de se encaixar na filosofia. Se ele se encaixar na filosofia implantada no clube, não vejo nenhum problema. Se ele teve problema de aquilo e aquilo outro, todo mundo que viveu com ele aqui, foi uma situação para trás. Para frente, cada um sabe das suas responsabilidades e vai ter de cumprir com aquilo que é determinado pelo clube e acabou. Seja o Adriano, o Manoel, o Joaquim, ou outro, que vai ter que cumprir. A filosofia já está implantada. Não vejo nenhum problema nisso aí.

Veto

Em momento algum existiu o veto ao Adriano. Que isso fique bem claro. As pessoas estão confundindo. Vetar é uma palavra muito forte. “Se ele chegar eu vou embora”. Isso nunca existiu. Isso foi criado por uma parte de interessados, até a imprensa, ou uma parte de pessoas mesmo do Flamengo. Alguns até opositores, que estão criando Facebook. Sabe? Querendo criar problema. Começam a inventar história para poder tirar vantagem. Eu sou bastante inteligente e sou bom de briga. Na tenho medo de ninguém me olhar de cara feia, fazer pergunta agressiva. Tenho porrada também. Não tem problema. Agora eu colocar meu cargo à disposição? Isso não é uma coisa inteligente. No dia que eu tiver que tomar uma decisão, eu chego a uma decisão com a presidência, que foi quem me contratou. Não houve veto ao Adriano. É que neste momento não cabe a discussão do Adriano porque eu tenho um Campeonato Carioca e a Copa do Brasil, e o jogador está impedido de jogar. Essa é a grande sacada. Se eu tenho que preservar o meu grupo que vai ganhar o campeonato, ou não, é esse grupo aí. Se eu perder o campeonato com esse grupo, estou roubado mesmo que o Adriano tenha sido contratado. Se eu ganhar, está todo mundo muito bem, mesmo que o Adriano tenha sido contratado

Contratações

O grupo ainda está aberto. Você monta o grupo e deixa ele aberto para possíveis contratações emergenciais ou necessárias dentro da nossa realidade. Nós temos algumas situações de análise do grupo, mas isso só pode ser feito no segundo semestre. Porque são jogadores que de repente o mercado vai abrir no segundo semestre. A base vai ser mantida até o final do ano. Dificilmente a gente troca. Mas o complemento da equipe, aí sim alguma coisa vai ser feita no meio da temporada, com certeza.

Aniversário do Ronaldinho

Não fui convidado ainda. Mas ele deve me convidar, mandar o convite. Se eu for lá, vou tomar uma cerveja com o Adriano. Não tenho nenhum problema. Meu problema não é o Adriano. Não o conheço pessoalmente. Até gosto muito dele. O problema é o Flamengo, a filosofia do Flamengo. O resto está tudo sossegado.

veja também