MENU

Artilheiro do mundo em 2008, ex-são-paulino ganha 'de tudo' no Bahrein

Artilheiro do mundo em 2008, ex-são-paulino ganha 'de tudo' no Bahrein

Atualizado: Terça-feira, 9 Fevereiro de 2010 as 12

Pouco lembrado pelos brasileiros, o meia-atacante Rico, vice-artilheiro do Campeonato Paulista de 2003 pela Portuguesa Santista e com passagens por São Paulo e Grêmio, foi eleito pela Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS) o maior goleador do mundo em 2008, com os 19 gols que marcou pelo Muharraq Club, do Bahrein. O jogador, por telefone, contou ao Globoesporte.com como é a sua aventura no mundo árabe.

- Valeu a pena pela experiência, eu nunca tinha jogado fora do país e gostei. a vida aqui é boa, se os barenitas gostarem de você, eles te dão tudo. Ganhei um belo relógio e um carro pelo meu desempenho. Na última segunda-feira, recebi uma homenagem da Federação do Barhein por ter sido o artilheiro do mundo e por ter ajudado o futebol do país a ser reconhecido internacionalmente - afirmou Rico, que está estudando propostas de alguns clubes para retornar ao país.

Feliz pelo reconhecimento no futebol do Oriente Médio, Rico relembrou o difícil começo de carreira.

- Eu jogava no Águas de Lindóia, mas a equipe pertencia a um grupo de empresários. Na primeira chance que tive, fui fazer um teste na categoria de base do São Paulo, joguei bem, mas o treinador na época (Nota: o ex-goleiro Zetti), me aconselhou a disputar à Taça São Paulo de Futebol Júnior por outra equipe, porque além de eu ter uma idade avançada para o time que jogaria a competição, ele já tinha montado a equipe, mas me disse que depois do torneio eu poderia ser contratado. Então, fui para o Asa de Alagoas, conquistei a artilharia da Copinha de 2002 e depois fui para o Tricolor - lembrou o jogador.

Quando chegou à equipe principal do São Paulo, o atleta tinha que disputar a titularidade com jogadores de renome que lá estavam, estrelas como Luis Fabiano, França e Reinaldo. Sem muitas chances em sua primeira temporada, o jogador foi emprestado para a Portuguesa Santista, onde mais uma vez mostrou o faro de gol e foi vice-artilheiro do Campeonato Paulista de 2003.

Na equipe da Baixada, o atacante jogava com os futuros tricolores Adriano e Souza. Pelo bom desempenho no Paulistão, o jogador retornou ao Morumbi e diferente da passagem anterior, o atleta teve mais oportunidades na equipe e formou dupla de ataque com o Fabuloso. Valorizado, mas tendo que disputar posição com Kléber(Nota: atacante do Cruzeiro), Rico decidiu mudar de tricolor e foi para o Grêmio.

- Quando o Ricardinho (Nota: meia do Atlético-MG e pentacampeão em 2002 com a seleção) se machucou, eu ganhei a vaga dele e joguei na equipe que tinha o Luis Fabiano, fiz bons jogos. Mas o Grêmio me fez uma proposta irrecusável e eu fiz uma quebra de contrato com o Tricolor Paulista, e depois fui para o Sul - revelou o atleta que, com pouco espaço na equipe gaúcha, partiu para a aventura no mundo árabe.

Por: Roberto Teixeira

veja também