MENU

Assista aos melhores momentos do GP da Turquia

Assista aos melhores momentos do GP da Turquia

Atualizado: Segunda-feira, 31 Maio de 2010 as 7:18

Os dois primeiros terços do GP da Turquia indicavam uma corrida monótona, com trocas de posições apenas nos boxes. Os carros da RBR e da McLaren andavam muito próximos, mas sem tentarem nada mais ousado. Tudo isso até a freada para a curva 12, na 40ª volta. Sebastian Vettel, que vinha em segundo, tentou a ultrapassagem. Mark Webber defendeu corretamente, mas o alemão voltou com o carro para cima do australiano e os dois bateram. Com a confusão, a vitória caiu no colo de Lewis Hamilton, que ainda se defendeu de forma belíssima de um ataque de Jenson Button. O atual campeão completou a dobradinha da McLaren em segundo.

Webber, que voltou à pista e teve de fazer um pit stop extra para trocar a asa dianteira, ainda conseguiu a terceira posição da corrida. Já Vettel abandonou no mesmo momento, na curva 12. Irritado, o alemão saiu do carro fazendo gestos de que o colega de equipe era maluco e chegou aos boxes se negando a dar entrevistas. Após alguns minutos no motorhome, voltou, falou com os jornalistas, mas manteve uma postura mais defensiva, talvez alertado por algum dirigente.

Felipe Massa, que largou em oitavo, lucrou com a confusão das RBRs e chegou em sétimo, uma posição à frente do companheiro Fernando Alonso, o oitavo. O espanhol saiu em 12º e ganhou posições nos boxes. A cinco voltas do fim, foi ousado e ultrapassou Vitaly Petrov, da Renault, com direito até a um toque, que furou o pneu do russo.

Os outros brasileiros acabaram fora da zona de pontuação. Rubens Barrichello, com a Williams, perdeu cinco posições na largada e acabou apenas em 14º. Lucas di Grassi, da VRT, chegou a disputar com os carros da Hispania e acabou no 19º e penúltimo lugar. Já Bruno Senna, que fazia uma ótima corrida para os padrões de sua péssima equipe, acabou tendo de abandonar a prova por causa de um problema mecânico.

A corrida

Os carros saíram para a volta de apresentação com sol forte no circuito de Istambul, mas a meteorologia já começava a reportar a chegada de nuvens carregadas. Na largada, Mark Webber manteve a ponta com tranquilidade e Sebastian Vettel assumiu a segunda posição, superando Lewis Hamilton. Só que o alemão ficou à frente por apenas duas curvas: o inglês recuperou o posto rapidamente.

Jenson Button também perdeu a quarta posição para Michael Schumacher na largada, mas conseguiu recuperá-la ainda na primeira volta. O inglês passou o alemão por fora na freada para a curva 13 e colou nos três primeiros colocados. Os pilotos da Ferrari apenas mantiveram suas posições: Felipe Massa ficou em oitavo e Fernando Alonso, em 12º.

Com a vantagem do duto aerodinâmico, Hamilton se aproximava rapidamente de Webber nas retas, mas o australiano conseguia se livrar do assédio nas curvas. Vettel, em terceiro, mantinha-se muito próximo dos dois primeiros, para tentar ganhar a posição nos boxes. Massa, em oitavo, e Alonso, em 12º, não conseguiam superar os carros imediatamente à frente.

A situação manteve-se inalterada até o início da rodada dos pit stops. Vettel foi o primeiro dos ponteiros a fazer a parada, na 15ª volta. Na passagem seguinte, Webber e Hamilton, que disputavam a primeira posição, entraram nos boxes juntos. O australiano saiu com tranquilidade, mas a McLaren se enrolou com uma das rodas do carro do inglês e ele acabou superado pelo alemão da RBR, caindo para terceiro. Button parou na 18ª e manteve a quarta posição.

Em meio à ameaça de chuva, que começava a aparecer nos computadores das equipes, os quatro se mantiveram nas mesmas posições, sem ameaças, até a 38ª volta, quando Vettel tomou a decisão de atacar o companheiro Webber. Após duas voltas de pressão, o alemão tentou a manobra no fim da 40ª volta, na reta que antecede a curva 12. O australiano defendeu, mas o colega de RBR jogou seu carro para o lado de dentro e provocou o choque. Hamilton e Button, que vinham logo atrás, lucraram e herdaram as duas posições.

O alemão, transtornado, abandonou a corrida ali mesmo e fez um gesto chamando o companheiro de maluco. Webber continuou na pista, mesmo com a asa dianteira danificada. O australiano teve de fazer uma parada extra na 43ª, onde trocou o aerofólio e os quatro pneus. Ele voltou com boa velocidade, mas tinha mais de 30 segundos de desvantagem para a dupla da McLaren, que disputava a primeira posição.

Sempre colado em Hamilton, Button tentou uma ultrapassagem na 49ª volta, no mesmo lugar do acidente de Webber e Vettel: a freada para a curva 12. O atual campeão colocou o carro por fora, o companheiro defendeu, mas Button ficou à frente na última curva. Hamilton voltou para a primeira posição na curva 1 após tracionar melhor e conseguir mais velocidade na reta.

Após a disputa, a McLaren mandou que seus dois pilotos economizassem combustível, para evitar um abandono e uma disputa mais ríspida. A dose de emoção das últimas voltas ficou com a disputa entre Alonso e Petrov pela oitava posição.  A três da bandeirada, o espanhol tentou a manobra nas primeiras curvas do circuito e os dois acabaram se tocando. O russo levou a pior, com um pneu furado, e caiu para a 15ª posição. Com isso, o bicampeão ficou apenas uma posição atrás do colega Massa, que terminou em sétimo após uma corrida discreta.

Com tranquilidade, Hamilton e Button completaram a corrida e asseguraram a dobradinha da McLaren. Após tentar se aproximar, Webber chegou em terceiro, 24 segundos atrás do vencedor.

Confira o resultado final do GP da Turquia:

1 - Lewis Hamilton (ING/McLaren-Mercedes) - 58 voltas em 1h28m47s620

2 - Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) - a 2s645

3 - Mark Webber (AUS/RBR-Renault) - a 24s285

4 - Michael Schumacher (ALE/Mercedes) - a 31s110

5 - Nico Rosberg (ALE/Mercedes) - a 32s266

6 - Robert Kubica (POL/Renault) - a 32s824

7 - Felipe Massa (BRA/Ferrari) - a 36s635

8 - Fernando Alonso (ESP/Ferrari) - a 46s544

9 - Adrian Sutil (ALE/Force India-Mercedes) - a 49s029

10 - Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) - a 1m05s650

11 - Pedro de la Rosa (ESP/Sauber-Ferrari) - a 1m05s944

12 - Jaime Alguersuari (ESP/STR-Ferrari) - a 1m07s800

13 - Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India-Mercedes) - a 1 volta

14 - Rubens Barrichello (BRA/Williams-Cosworth) - a 1 volta

15 - Vitaly Petrov (RUS/Renault) - a 1 volta

16 - Sebastien Buemi (SUI/STR-Ferrari) - a 1 volta

17 - Nico Hulkenberg (ALE/Williams-Cosworth) - a 1 volta

18 - Timo Glock (ALE/VRT-Cosworth) - a 2 voltas

19 - Lucas di Grassi (BRA/VRT-Cosworth) - a 3 voltas

20 - Karun Chandhok (IND/Hispania-Cosworth) - a 6 voltas/mecânico

Não classificados:

Bruno Senna (BRA/Hispania-Cosworth) - a 12 voltas/mecânico

Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) - a 19 voltas/acidente

Heikki Kovalainen (FIN/Lotus-Cosworth) - a 25 voltas/mecânico

Jarno Trulli (ITA/Lotus-Cosworth) - a 26 voltas/mecânico

Melhor volta: Vitaly Petrov (RUS/Renault) - 1m29s165, na 57ª volta

veja também