MENU

Assistente da seleção quer usar na base dados colhidos em viagem à Espanha

Assistente da seleção quer usar na base dados colhidos em viagem à Espanha

Atualizado: Quarta-feira, 24 Fevereiro de 2010 as 12

Assistente de Rubén Magnano na seleção masculina, José Neto retornou ao Brasil no início desta semana com a bagagem cheia. De ideias. Enviado à Espanha pela Confederação Brasileira de Basquete, o treinador acompanhou a Copa do Rei, vencida pelo Barcelona, e um torneio infantil. De volta ao país, ele pretende usar o conhecimento não apenas para ajudar Magnano a caminho do Mundial da Turquia, mas também para injetar em nossas seleções de base o conteúdo colhido em um dos países que mais cuidam da formação de atletas.

- Estar presente no local da competição e vivenciar o dia a dia das equipes e de tudo que cerca esta estrutura com certeza traz muito aprendizado. A Espanha tem um trabalho muito interessante na formação e no desenvolvimento de jogadores e técnicos. Cada detalhe é importante para a gente observar e colocar dentro da nossa realidade. É isso que pretendo fazer. Além de assistente técnico da equipe adulta, venho fazendo um trabalho junto à CBB, há um ano e meio, com as seleções de base, além de ministrar clínicas pelo Brasil. Este conteúdo observado na Espanha será colocado em prática nestas clínicas e treinamentos – afirma Neto, em entrevista ao GLOBOESPORTE.COM.

A experiência na Espanha não chega a ser uma novidade para o assistente técnico. A cada viagem, no entanto, a organização impressiona.

- Foi muito bom ver de perto, mais uma vez, como jogam as categorias de base na Europa. Venho acompanhando há alguns anos e mantenho contato com vários treinadores. É muito interessante que a maioria das equipes já tenham, mesmo com essa idade, uma noção de jogo coletivo, ofensivo e defensivo, evidenciando a utilização de conceitos e ocupação de espaços como padrão de jogo – explica, lembrando que o brasileiro Daniel Bordignon disputou a competição pelo Caja Laboral.

Neto aproveitou a viagem para conversar com Tiago Splitter e Marcelinho Huertas, que também defendem o Caja Laboral, mas na equipe adulta.

- A experiência foi muito boa. Estiveram presentes o Splitter e o Huertas. Fico feliz por representar o basquete brasileiro e estar com eles nesta competição – avalia.

veja também