MENU

Atletas e dirigentes falam sobre a classificação do Rio para a disputa final para a sede dos Jogos de 2016

Atletas e dirigentes falam sobre a classificação do Rio para a disputa final para a sede dos Jogos de 2016

Atualizado: Sexta-feira, 6 Junho de 2008 as 12

Atletas e dirigentes falam sobre a classificação do Rio para a disputa final para a sede dos Jogos de 2016

 

Confira as declarações dos atletas Fabiana Beltrame (remo), João Gabriel Schlittler (judô), Márcio Wenceslau (taekwondo), Ricardo Winicki "Bimba" (vela) e dos presidentes de confederação Paulo Wanderley Teixeira (judô), Mestre Kim (taekwondo) e Rodney Bernardes de Araújo (remo) sobre a classificação do Rio de Janeiro para a final da disputa pela sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

Fabiana Beltrame ? Remo ,  que remará o Single Skiff nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e foi a primeira mulher a se classificar no remo para uma Olimpíada: "O Brasil mostrou com o Pan 2007 que tem condições de realizar um evento do porte de uma olimpíada. Será uma grande chance de apresentar ao mundo nossa cultura. As outras três cidades classificadas são fortes, mas o Rio de Janeiro é reconhecido internacionalmente e em qualquer país que chego, quando digo que moro aqui, todos comentam que gostariam de conhecer ou fazem elogios".

João Gabriel Schlittler ? judô , que lutará no peso pesado nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008. Medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro 2007 e bronze no Campeonato Mundial Rio 2007: "Esta classificação inédita mostra o reconhecimento internacional do Brasil como país com capacidade de organizar grandes eventos, sem contar que o bom momento político e econômico que a nação atravessa faz toda a diferença nessas eleições. Não consigo descrever a emoção que seria disputar uma Olimpíada em casa. Tive a oportunidade de lutar um Pan e um Mundial e, com a torcida ao meu lado, consegui resultados maravilhosos. Estaria com 30 anos em 2016 e, se tudo der certo, lutando em alto rendimento".

Marcio Wenceslau ? taekwondo , que lutará na categoria até 58kg nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008. Medalha de prata nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro 2007: "O país inteiro se movimenta com a chance de receber uma olimpíada. Acredito que todos ganham em estrutura, ginásios novos e orgulho. A vontade de qualquer atleta em disputar uma olimpíada é enorme, dentro do seu país então, nem se fala. Estou muito feliz e tenho certeza que após o sucesso do Pan, organizar uma Olimpíada é o próximo passo para o Brasil"

Ricardo Winicki "Bimba" ? vela equipe GOL esportes, que competirá na RS:X nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008. Medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro 2007. Campeão Mundial 2007: "Uma Olimpíada no Brasil é muito importante para o desenvolvimento do país e do esporte. Se o Pan já ajudou no patrocínio e divulgação, com o Brasil sendo sede dos Jogos de 2016 a gente terá ainda mais oportunidades. Aqui o calor da torcida é nota 10. A experiência que tive no Pan do Rio foi única, com todo mundo torcendo quando ganhei. Ficará para sempre na minha memória. Se isso acontecer numa olimpíada, será melhor ainda. Competir em casa é bom demais"

Rodney Bernardes de Araújo ? Presidente da Confederação Brasileira de Remo : "É uma vitória para a comunidade esportiva brasileira e também resultado da realização vitoriosa dos Jogos Pan-Americanos de 2007. E também uma conquista do nosso presidente Carlos Arthur Nuzman, que é o grande maestro do esporte olímpico nacional. O país ganha economicamente, esportivamente e se consolida como uma potência. A realização de uma Olimpíada na América do Sul ajudará ainda mais no desenvolvimento do esporte na nossa região".

Paulo Wanderley Teixeira - Presidente da Confederação Brasileira de Judô : "O Brasil está plenamente credenciado a realizar este que é o evento máximo do esporte mundial. Falo isso levando em conta nossa experiência na realização de competições como os Jogos Pan-Americanos Rio 2007, além de inúmeros campeonatos mundiais nos últimos anos, onde se destaca o Mundial de Judô de 2007, que contou com recorde de países e atletas inscritos. A realização das Olimpíadas pela primeira vez na América do Sul só vem a estimular ainda mais o esporte nesta região. Evidentemente acrescentando-se a isso um ganho econômico, turístico, de infra-estrutura e de desenvolvimento de mão de obra e esportivo. Será uma oportunidade ímpar para o Rio de Janeiro, o Brasil e a América do Sul".

Mestre Kim - Presidente da Confederação Brasileira de Taekwondo : "A realização das Olimpíadas de 2016 no Brasil será a continuação de um sonho e de um trabalho que começou com os Jogos Sul-Americanos de 2002 e os Jogos Pan-Americanos de 2007. Todas as esferas da sociedade e do esporte sofrem os efeitos positivos de um evento deste porte. Sem dúvida os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro serão um impulso de enorme valor para todas as modalidades praticadas no país e para a cidade, que será beneficiada por investimentos diversos. O povo brasileiro merece, há muito tempo, receber e vibrar com as Olimpíadas em casa".

veja também