MENU

Atlético-Go tenta, mas Bahia leva a melhor no duelo dos desesperados

Atlético-Go tenta, mas Bahia leva a melhor no duelo dos desesperados

Atualizado: Segunda-feira, 8 Agosto de 2011 as 8:41

      Dono da casa e precisando de um triunfo para recuperar o moral depois do decepcionante 3 a 0 sofrido no Morumbi, na última quinta-feira. O Bahia entrou em campo neste domingo sob olhares desconfiados de 12.147 pagantes, o pior público no Pituaçu neste Campeonato Brasileiro. Do outro lado, o Atlético-GO queria deixar para trás a derrota para o xará paranaense dentro de casa, pelo mesmo placar. As duas equipes se reencontraram na Série A depois de 25 anos, para selar um confronto equilibrado, que valia o distanciamento da zona da degola. Na partida dos desesperados, válida pela 15ª rodada, o mando de campo falou mais alto: 2 a 1.

O Bahia, que chegou à vitória com um golaço de Jobson e uma cabeçada de Fahel, chegou a 18 pontos, na 13ª colocação. Na próxima rodada, recebe o Inter, às 18h30m de domingo. O Atlético-GO, que ainda pôs 1 a 1 no placar com um gol de Juninho, entrou no Z-4 após a vitória do Santos sobre o Ceará. Está em 17º lugar, com 13 pontos. No sábado, tentará se recuperar diante do próprio Santos, no Serra Dourada, às 18h30m.

Estrela de Jobson brilha no primeiro tempo

Desde o início da partida, Jobson já dava sinais de que estava em um bom dia. O Bahia começou pressionando, abusando da velocidade característica do ataque tricolor. No entanto, outro ponto marcante do homem de frente falou mais alto: Jobson, o rei da banheira do campeonato, teve duas grandes chances nos dez primeiros minutos, mas foi pego em impedimento por muito pouco.

No meio do primeiro tempo, o Atlético-GO acordou em Pituaçu e passou a procurar caminhos rumo à meta de Marcelo Lomba. Felipe ameaçou com um belo chute, que possibilitou ao goleiro uma grande defesa. Aos 26 minutos, no entanto, Jobson tratou de findar a festa do Dragão com um golaço: o jogador recebeu passe de Reinaldo, tirou o zagueiro do lance e mandou de perna esquerda no ângulo.

Foi o suficiente para que a energia do time goiano sofresse uma baixa. Sem conseguir aproveitar os espaços deixados pela defesa tricolor, o Atlético-GO esmoreceu em campo e não conseguiu igualar o placar até a descida para o vestiário.       Fahel marca de cabeça e comemora o gol da vitória sobre o Atlético-GO no Pituaçu (Foto: Ag. Estado)     Dragão ameaça, mas Tricolor segura a vitória

O intervalo fez com que o Dragão acertasse a postura que deveria ter diante do Bahia. Voltou ao segundo tempo com gás, partindo para cima. Sem deixar o adversário respirar, Juninho empatou a partida logo aos dois minutos, aproveitando passe de Thiaguinho. Reinaldo ainda tentou desempatar, de cabeça, mas o segundo tento do Bahia estava reservado para outro jogador.

Vendo o time no sufoco, o técnico René Simões foi aos poucos recorrendo a substituições. Reinaldo, Lulinha e Marcos deram lugar a Júnior, Jones e Gabriel. Com as mudanças, o Bahia ganhou velocidade e, apesar dos muitos passes errados, respondeu às investidas do Atlético-GO. Juninho ainda tentou aumentar a vantagem do visitante, mas Fahel estava no lugar certo para assegurar a vitória dentro de casa. Aos 29 minutos, Ricardinho cobrou escanteio, e Fahel mandou de cabeça para a rede, depois de uma cabeçada de Jones.

No fim do confronto, apesar do bom ritmo imposto pelos visitantes, Jobson ainda se deu ao luxo de perder dois gols dignos do Inacreditável Futebol Clube. Mas as falhas do atacante não fizeram tanta falta.

Após o apito final, o volante Fabinho sentou no gramado e desmaiou em seguida. A ambulância demorou para entrar em campo e realizar o atendimento. De acordo com os médicos do clube baiano, o jogador teve fraqueza e tontura e ficou inconsciente por poucos minutos. Acordado, Fabinho foi retirado de campo na ambulância para passar por uma avaliação médica em um hospital próximo ao estádio de Pituaçu.            

veja também