MENU

Atlético-PR vence de virada, segue vivo e complica o Paraná no estadual

Atlético-PR vence de virada, segue vivo e complica o Paraná no estadual

Atualizado: Segunda-feira, 4 Abril de 2011 as 8:43

Em partida tensa, que terminou com dez jogadores de cada lado, o Atlético-PR venceu o Paraná Clube de virada, por 3 a 2, na tarde deste domingo, na Vila Capanema, pela sétima rodada do returno do Campeonato Paranaense. Todos os gols saíram no segundo tempo. Kelvin e Léo marcaram para o Tricolor. Madson, duas vezes - depois do segundo gol que marcou, foi expulso pela comemoração -, e Adaílton garantiram a vitória rubro-negra.

Com o resultado, o Furacão permanece na vice-liderança, agora com 16 pontos. Ele está cinco atrás do líder, o Coritiba. O Paraná continua na zona de rebaixamento, à frente apenas do Cascavel e três pontos atrás do Rio Branco de Paranaguá, primeiro fora da ZR.

O Paraná Clube volta a campo na quarta-feira, às 19h30m, quando enfrentará o Botafogo no Engenhão, pela Copa do Brasil. No jogo de ida, o Tricolor perdeu por 2 a 1. Pelo Estadual, o próximo compromisso é contra o Operário, sábado, no Estádio Germano Kruguer. O Furacão terá a semana livre para treinar. No domingo, às 16h, o Rubro-Negro visita o Cianorte, no estádio Albino Turbay.

Poucas chances; nenhum gol

Pressionados pela zona de rebaixamento e pela vitória do Coritiba no sábado, respectivamente, Paraná e Atlético pareciam nervosos. Os times erraram muitos passes e criaram raras chances de gol. Em uma delas, Diego bateu de fora da área e Renan Rocha espalmou. O Furacão respondeu na mesma moeda, mas Robston e Guerrón chutaram para longe.

Na melhor oportunidade rubro-negra na primeira etapa, Madson cruzou para Guerrón, que cabeceou. Lima, porém, tirou com o peito e evitou o gol. Depois, o equatoriano finalizou de meia distância, e Thiago Rodrigues fez a defesa em dois tempos.

A principal jogada da etapa inicial foi do Paraná Clube. Paulo Henrique tabelou com Douglas Packer e com Diego. Livre na entrada da área, ele arriscou, mas Renan Rocha saltou e fez a defesa.

Ataques desencantam, e gols saem

O Paraná voltou melhor para a etapa final e quase abriu o placar com um minuto. Renan Rocha bateu em cima de Kelvin, mas a defesa atleticana conseguiu afastar o perigo. Aos três, após nova falha rubro-negra, Lima encontrou Kelvin completamente livre na área. Ele teve tempo de dominar, escolher o canto e tocar com categoria para fazer Paraná 1 a 0.

O Atlético - que, com o resultado, sairia da briga pelo tíutlo do segundo turno - partiu para a pressão, mas de forma desordenada. Quando conseguiu criar uma chance, igualou o marcador. Aos 12 minutos, Wagner Diniz cruzou, Madson dominou de costas e, de calcanhar, bateu no canto: 1 a 1.

A torcida rubro-negra não teve nem tempo para comemorar. Aos 14, Paulo Henrique cruzou para Léo. O camisa 9 subiu e, de cabeça, recolocou o Tricolor em vantagem. Com o 2 a 1, o técnico Geninho fez duas mudanças - Claiton e Nieto entraram nas vagas de Robston e Guerrón. O Furacão pressionava, mas não ameaçava o gol de Thiago Rodrigues. Madson, em três chutes de fora da área, errou o alvo. Aos 26 minutos, Luiz Camargo recebeu o segundo amarelo e deixou o Paraná com um a menos.

Geninho aproveitou a vantagem numérica para tirar o volante Alê e colocar o atacante Adaílton. O time visitante melhorou e chegou ao empate. Madson, aos 32, pegou rebote, bateu da entrada da área e acertou o canto para fazer 2 a 2. Na comemoração, ele provocou a torcida adversária, recebeu o segundo amarelo e também foi expulso.

Com 10 para cada lado, os dois times se abriram e deram espaço na defesa. Lima, de fora da área, quase recolocou o Tricolor em vantagem. O Furacão foi mais eficiente. Aos 43, Adaílton recebeu pela direita, cortou o zagueiro Rodrigo Defendi e chutou no canto, sem chance para o goleiro paranista - Atlético 3 a 2 e festa rubro-negra na Vila Capanema.      

veja também