MENU

Atlético vence Inter, e continua na luta contra Z-4

Atlético vence Inter, e continua na luta contra Z-4

Atualizado: Segunda-feira, 3 Outubro de 2011 as 9:07

O atacante Federico Nieto viveu uma tarde de herói neste domingo, na Arena da Baixada. Foram dele os gols da vitória do Atlético-PR sobre o Internacional, por 2 a 0, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. O argentino, que não era titular desde a sétima rodada, marcou dois gols de cabeça, ambos no segundo tempo, e deu força ao Furacão na luta contra a degola. O primeiro tempo, bastante disputado e com raras chances de gol, terminou com placar em branco. Na etapa final, com a entrada de Marcinho, que teve o nome gritado pela torcida ainda no primeiro tempo, o Furacão marcou dois gols. No primeiro, o meia deu passe preciso para Nieto. No segundo, lançou Edílson, que cruzou na cabeça do camisa 9.

Com esse resultado, o Atlético-PR sobe para 27 pontos, ultrapassa o Atlético-MG e chega ao 17° lugar. Além disso, o Furacão ficou mais perto de sair do Z4. A distância para o Cruzeiro, 16°, caiu para dois pontos. Já o Colorado, que estava a apenas um ponto do G5 antes da rodada, segue no sétimo lugar, com 40, mas a quatro do Fluminense, quinto colocado e na zona de classificação para a Taça Libertadores de 2011. Atlético-PR e Internacional voltam a campo no domingo. O Furacão visita o Avaí, às 18h (horário de Brasília), na Ressacada. O Colorado recebe o Vasco, às 16h, no Beira-Rio.

Nieto marca dois gols de cabeça, e Furacão respira na luta contra o Z-4 (Foto: Agência Estado)

Equilíbrio e poucas chances de gol no primeiro tempo O Atlético-PR começou a partida no 4-4-2, com três volantes e apenas Paulo Baier na criação das jogadas. Já o Internacional tinha, no 4-5-1, dois volantes, três meias e Jô avançado. Com a vantagem numérica no meio-campo, o Colorado foi mais perigoso nos primeiros dez minutos. No principal lance, Ricardo Goulart arriscou, e a bola sobrou para Jô, que finalizou para defesa de Renan Rocha.

A resposta atleticana veio aos 14. Nieto recebeu lançamento, dividiu com Bolívar e ficou cara a cara com Muriel. O argentino, porém, parou no lance porque pensou que o árbitro Paulo César Oliveira havia marcado falta. Quando percebeu que não, ele bateu para boa defesa do goleiro colorado. Depois disso, o jogo ficou bastante equilibrado, e os lances de gol, que já eram poucos, se tornaram raríssimos. Com D'Alessandro bem marcado por Renan Foguinho, o Inter ameaçou apenas mais duas vezes na etapa inicial. Livre na área, Jô cabeceou para fora. Já Oscar chutou de longe, à direita do gol de Renan Rocha.

Também com dificuldades para criar, os atleticanos tentaram cavar dois pênaltis, com Nieto e Paulo Baier, mas o árbitro acertou e mandou os lances seguirem. Antes do intervalo, o Furacão arriscou com Edílson, que cobrou falta direto para fora. O Rubro-Negro chegou a balançar as redes na etapa inicial com Guerrón, mas o equatoriano estava impedido quando recebeu passe de Paulo Baier.

Nieto decide para o Furacão Para tentar resolver a falta de criatividade do meio-campo, Antônio Lopes colocou o meia Marcinho, um pedido da torcida, na vaga de Paulinho. E Marcelo Oliveira passou do meio-campo para a lateral esquerda. O técnico teve de promover outra alteração no intervalo. Renan Foguinho passou mal antes do reinício da partida e foi substituído por Fransérgio.

O Internacional, que voltou sem alterações, começou melhor e, assim como o Atlético-PR no primeiro tempo, teve um gol anulado. Jô recebeu em posição legal e tocou na saída do goleiro, mas o auxiliar assinalou o impedimento inexistente. O Colorado teve mais duas oportunidades, mas Bolívar, de cabeça, e D'Alessandro, de fora da área, bateram para fora.

A resposta foi fatal. Aos 13 minutos, Marcinho cruzou com perfeição, na cabeça de Nieto. O camisa 9 não perdoou e abriu o placar na Arena da Baixada. O Inter, em cabeçada de Jô, quase empatou, mas Renan Rocha fez milagre e espalmou a bola para escanteio. Nieto teve a chance de fazer o segundo dele aos 21, quando recebeu de Baier, tentou driblar o goleiro e foi facilmente desarmado. Em desvantagem no placar, o Inter partiu para a pressão. D'Alessandro de longe e Jô de cabeça erraram o alvo. O Furacão, que apostava nos contra-ataque, aproveitou um deles para ampliar e matar o jogo.

Edílson cruzou na cabeça de Nieto, aos 38 minutos. Ele tocou no canto direito, sem chance para Muriel. Furacão 2 a 0 e um respiro na luta contra o Z-4. Antes do apito final, Nieto ainda perdeu outro gol claro, sozinho e de frente para Muriel. Mas nada que estragasse a festa atleticana, que gritou olé e comemorou o triunfo.  

              Vídeo: Youtube   

veja também