MENU

Atrasado, Ronaldo interrompe Hino em evento em obras no Rio

Atrasado, Ronaldo interrompe Hino em evento em obras no Rio

Atualizado: Sexta-feira, 2 Março de 2012 as 1:18

O evento servia para conscientizar os operários da obra do Maracanã a utilizarem equipamentos de segurança e diminuírem o número de acidentes de trabalho, mas quem roubou a cena foi Ronaldo.

O ex-atacante, integrante do conselho do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014, se atrasou mais de 50 minutos para o ato, chegou quando o Hino Nacional estava sendo executado e saiu sem falar sobre as polêmicas em torno de seu aliado Ricardo Teixeira, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do COL, que deve pedir mais uma licença dos cargos em meio a boatos de que se afastaria das entidades.

Ronaldo chegou - em meio a forte esquema de segurança - quando o evento já havia começado. O mestre de cerimônias foi obrigado a pedir para a banda interromper a execução do Hino Nacional enquanto os operários que estão reconstruindo o Maracanã gritavam o nome do ídolo da Seleção Brasileira e abafavam qualquer outro som.

No palco, ao lado do deputado estadual Bebeto (PDT), outro membro do COL, o ex-centroavante lembrou de que quando começou a jogar o uso de caneleiras não era obrigatório. "Cada pancada mais forte obrigava o jogador a ficar uma semana parado. Depois, quando passou a ser obrigatório o uso da caneleira, essas pancadas pararam de ser problema. Usem equipamento de segurança, não queremos que vocês se machuquem", disse para os operários.

Na saída, mais confusão. Ronaldo passou pelo meio dos operários escoltado por guardas e limitou-se a falar do assunto em questão no evento para a imprensa. "Esse é o motivo pelo qual estamos aqui hoje", afirmou antes de fazer uma rápida visita ao canteiro de obras. Bebeto foi pelo mesmo caminho e nenhum dos dois quis opinar sobre a situação de Ricardo Teixeira à frente da organização da Copa de 2014.

veja também