MENU

Ausência de Damião prejudica sequência de trabalho, diz Mano

Ausência de Damião prejudica sequência de trabalho, diz Mano

Atualizado: Sexta-feira, 23 Setembro de 2011 as 10:17

Leandro Damião deixa o gramado no jogo do Inter

sentindo dores na coxa (Foto: Agência Estado)

  Mano Menezes parecia ter encontrado o camisa 9 ideal da Seleção Brasileira. Foram três jogos de Leandro Damião como titular e um gol, no triunfo por 1 a 0 sobre Gana, no início de setembro, em Londres. Porém, na última quarta-feira, no empate por 1 a 1 entre Internacional e Figueirense, o atacante sentiu um problema muscular e vai fora de combate por, pelo menos, 20 dias. Com isso, o atleta sequer foi convocado para os jogos contra a Argentina, na próxima quarta-feira, em Belém, Costa Rica, no dia 7 de outubro, em San José, e México, no dia 11, em Torreón.

Na opinião de Mano, apesar de ter boas peças de reposição, a sequência de trabalho na Seleção Brasileira sai prejudicada por conta da ausência do atacante.

- Seria convocado para as duas empreitadas pela sequência de jogos que vem tendo. Ele não poderia estar ausente. Houve até um pleito por parte do Inter e colocamos justamente isso. Não podemos abrir mão de jogadores que estão se destacando e o prejuízo é justamente esse. É a quebra de uma sequência de um jogador que vinha bem, que chamava a responsabilidade, que preocupava os adversários e marcava os gols - analisou Mano.

O comandante canarinho fez até uma comparação de Damião com a situação vivida por Paulo Henrique Ganso. O meia do Santos fez uma ótima estreia na Seleção na vitória por 2 a 0 sobre os Estados Unidos, em Nova Jérsei, e em seguida sofreu uma lesão no joelho.

- Foi o que aconteceu mais atrás com o Ganso, que teve uma ótima estreia contra os EUA e depois não teve um ritmo de jogo. Mas o a ausência do Damião será bem menor. Isso atrapalha uma sequência - disse o comandante.

Apesar da ausência de Ganso, Mano afirmou que não pode lamentar. Para a vaga do atacante, o comandante convocou Kleber, do Porto, de apenas 21 anos.

- Acredito no potencial dos outros jogadores e não vamos lamentar essa ausência. Se fecha uma porta, mas se abre outra e tocamos o barco.          

veja também