Bahia e América-MG empatam em jogo insosso e seguem em situação ruim

Bahia e América-MG empatam em jogo insosso e seguem em situação ruim

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:29

A noite era de comemoração, em Pituaçu, mas no fim do jogo ninguém teve motivos para celebrar. Bahia e América-MG fizeram uma partida de péssimo nível técnico. O resultado foi um insosso 0 a 0. Na semana em que fez muita festa para comemorar os 80 anos, o Tricolor decepcionou seu torcedor e não conseguiu vencer o lanterna do Campeonato Brasileiro. As vaias deram o tom após o apito final.

O empate só serviu para tirar o Bahia da zona de rebaixamento. Após 20 rodadas, o Tricolor soma 21 pontos e ocupa a 16ª posição. O América-MG segue na lanterna, com 14 pontos. No domingo, o Bahia pega o Flamengo, às 16h, no Engenhão. No mesmo horário, o América-MG recebe o Vasco, na Arena do Jacaré. No duelo desta quinta-feira em Pituaçu, 9.807 pagantes geraram uma renda de R$ R$147.540,00.

Camisa nova, futebol velho O Bahia entrou em campo com uma nova terceira camisa, toda azul, em homenagem à seleção francesa (sem justificativa). Mas com a bola rolando, faltou futebol. A apresentação do time da casa não lembrou nem mesmo os piores momentos dos Bleus. No primeiro tempo, a atuação tricolor ficou abaixo da média. Enquanto isso, o time mineiro percebeu que sua missão não era tão difícil e partiu para cima. Foram os mineiros quem criaram as principais chances de gol da primeira etapa.

Contestado pela torcida, o goleiro Tiago, que não atuava desde o campeonato baiano, salvou o Bahia no lance mais perigoso do primeiro tempo defendendo um chute de Ulisses. A única inspiração baiana vinha nas jogadas do improvisado Maranhão na lateral esquerda. Souza e Carlos Alberto pouco produziam.     O americano Kempes recebe o combate do capitão do Bahia, Fahel (Foto: Ag. Estado)     A etapa inicial terminou debaixo de muitas vaias. A torcida irritada ensaiou um "Fora René", mas manteve a expectativa de melhora para o segundo tempo. Mas o filme se repetiu. Sobrou esperança e faltou futebol. Perdido em campo, o time de René Simões nada criava. As poucas chances caíram nos pés e na cabeça do zagueiro Paulo Miranda em lances de bola parada. Nada além disso.

Coelho acerta a trave

Desesperado, René Simões era o retrato da decepção. Carlos Alberto, Souza e Jones deram lugar a Lulinha, Rafael e Nikão. Nada adiantou. No lado do América, Givanildo respondeu reforçando o setor ofensivo, com as entradas de Rodriguinho e Fábio Júnior. O time mineiro, por sinal, foi quem mais esteve perto de abrir o placar. Aos 36, Amaral viu explodir na trave a sua cobrança de escanteio. Quase um gol olímpico.

Nervoso, o time baiano mostrou falta de equilibrio e não se acertou nos minutos finais, mesmo que ainda contando com algum apoio por parte do torcedor. O gol não veio e a torcida perdeu a paciência. Ensaiado no primeiro tempo, o grito de "Fora René" ecoou nas arquibancadas de Pituaçu após o apito final.                  

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições