MENU

Barrado no Pacaembu, Marcelinho ataca diretoria corintiana via twitter

Barrado no Pacaembu, Marcelinho ataca diretoria corintiana via twitter

Atualizado: Terça-feira, 30 Novembro de 2010 as 8:49

Se a relação de Marcelinho Carioca com a torcida corintiana é de amor eterno, o mesmo não se pode dizer do ex-jogador com a diretoria do clube. Através de seu twitter oficial , o Pé-de-Anjo reclamou que ficou por 40 minutos barrado na porta do Pacaembu no último domingo, esperando para entrar no estádio, quando a equipe venceu o Vasco por 2 a 0. Marcelinho ainda criticou o tratamento que os ídolos recebem no Parque São Jorge.

- Quero prestar o meu aborrecimento por ficar 40 minutos barrado no Pacaembu. Só o carinho da torcida me faz esquecer esta sacanagem! (...) Rivellino escurraçado em 74, Basílio barrado no Parque São Jorge, Neto barrado no Memorial, e Marcelinho Carioca no Pacaembu. (...) Esse é o comportamento da diretoria e presidência do nosso eterno Coringão – afirmou Marcelinho, via twitter. Marcelinho ainda afirma que a diretoria é "falsa" com a torcida e que nos bastidores acontece muita “sacanagem” e “trairagem”.

- Pra torcida uma coisa falsa, pelos bastidores só sacanagem e trairagem! (...) O Corinthians é maior do que qualquer vaidade e estrelismo! Pra cima deles Corinthians!

Procurado pelo GLOBOESPORTE.COM, o diretor de futebol do Alvinegro, Mário Gobbi, preferiu não se posicionar sobre o assunto e afirmou que isso caberia ao presidente Andrés Sanches. Até agora, Andrés não se pronunciou sobre as declarações de Marcelinho.

- Eu ouvi dizer isso. Quem tem que falar sobre o assunto é o presidente Andrés. Eu sou o diretor de futebol. Os ataques que ele fez dizem respeito à instituição e não ao departamento de futebol. Só tenho autonomia para falar do departamento de futebol. Se o Andrés Sanches achar necessário se pronunciar sobre o assunto, ele falará.

No próximo domingo, o Corinthians enfrenta o Goiás pela última rodada do Campeonato Brasileiro, no Serra Dourada, às 17h (de Brasília). O time precisa de uma vitória e torcer por um tropeço do Fluminense contra o Guarani, no Engenhão.

veja também