MENU

Belluzzo promete conversa para definir "caso Love"

Belluzzo promete conversa para definir "caso Love"

Atualizado: Segunda-feira, 21 Dezembro de 2009 as 12

O receio de uma perseguição da torcida do Palmeiras em 2010 é a causa escolhida por Vagner Love para seguir ao Flamengo. A equipe carioca já se mobilizou em relação a parceiros que possam pagar o salário da estrela. Mas o presidente do Verdão, Luiz Gonzaga Belluzzo, vai tentar reverter a situação.

''Não estou sabendo desse receio do Vagner, temos que conversar com o procurador dele (Evandro Ferreiro) para saber o que está acontecendo'', afirmou o dirigente, em entrevista por telefone.

No final do Campeonato Brasileiro, Love acabou atacado por três torcedores organizados quando deixava uma agência bancária. Inicialmente, os agressores foram presos apenas por causa da alegação de racismo.

Só que o advogado dos infratores conseguiu a liberação dos torcedores dez dias depois da confusão. Agora, os brigões vão responder o processo pela agressão em liberdade. Ainda assim, se forem punidos, devem receber apenas trabalhos comunitários.

Em relação a uma possível negociação com o Flamengo, Belluzzo também prefere despistar. ''Ninguém me procurou até o momento, não tivemos contato, o Flamengo está, inclusive, com uma nova diretoria, a Patrícia Amorim assumiu o clube'', disse o presidente palmeirense.

Com a chance de saída de Love, o ataque palmeirense vai se enfraquecendo para a temporada 2010. Nesta semana, o Verdão anunciou que o contrato do paraguaio Ortigoza não será renovado.

Exigência

Procurador de Vagner Love, Evandro Ferreira reconheceu que seu cliente está com receio de retornar à capital paulista. Por isso, ele pede uma ação especial da diretoria do Palmeiras para garantir a segurança do centroavante.

''O Vagner está preocupado, continua com muita dúvida. Como ele poderia trabalhar assim? Ele está correndo risco, sua família também, é nesse sentido que vamos tentar resolver com o Palmeiras. Se tivermos pessoas garantindo a segurança do Vagner e da sua família, ele pode voltar'', avisou o empresário, em entrevista à Rádio Jovem Pan.

Por Marcelo Belpiede

veja também