MENU

Bernardinho lembra final de Atenas, e Dante diz: 'Esse jogo será melhor'

Bernardinho lembra final de Atenas, e Dante diz: 'Esse jogo será melhor'

Atualizado: Sexta-feira, 8 Outubro de 2010 as 9:13

“A ansiedade é muito grande”, afirmou um sempre agitado Bernardinho. Na véspera da semifinal do Mundial entre Brasil e Itália, considerado o duelo mais aguardado do campeonato devido às polêmicas que envolvem as duas seleções, o técnico citou a final dos Jogos Olímpicos de Atenas. Na Arena de Roma, o treinador esboçou um sorriso tenso ao recordar a rivalidade em quadra. O ponteiro Dante, que estava presente na ocasião, também não esquece o dia 29 de agosto de 2004. Ele acredita, no entanto, que a partida marcada para as 16h (de Brasília) deste sábado será mais emocionante.

- Com tudo o que está repercutindo, esse jogo vai ser melhor - garantiu o ponteiro.

Dominante no cenário internacional nas décadas de 80 e 90, os italianos entraram em quadra na final de Atenas para lutar contra o tabu de nunca terem ficado com a medalha de ouro olímpica. Mas deixaram o ginásio derrotados. O Brasil venceu por 3 sets a 1, com parciais de 25/15, 24/26, 25/20 e 25/22, e subiu no alto do pódio.

- Eram duas grandes equipes em quadra. A nossa tinha um ciclo completo, mas a deles também tinha experiência. Agora, é um pouco diferente. Nosso time está com algumas renovações. Mas acredito que vai ser um jogo tão duro quanto o de Atenas - avaliou Bernardinho.

Duro, principalmente, pelo fator extra-quadra. A rivalidade, que já era grande em Atenas, ganhou força no Mundial depois da troca de farpas entre Brasil e Itália. Antes do início do campeonato, Bernardinho e seus comandados reclamaram que o regulamento havia sido feito para favorecer os donos da casa. Por causa disso, a seleção poupou jogadores e entrou sem ânimo contra a Bulgária no fim da segunda fase. Perdeu o jogo por 3 sets a 0, pegou um caminho mais fácil e despertou a ira dos italianos.

Da imprensa do país até o ex-jogador Zorzi, todos criticaram a postura do Brasil. Na semifinal, os brasileiros esperam hostilidade da torcida e provocação dos jogadores rivais. Destoando dos demais companheiros, no entanto, Dante acredita que será mais comedida.

- Provocam de acordo com quem eles jogam. Eles sabem onde mexem – afirmou o ponteiro.     Por Carol Oliveira Direto de Roma

veja também