MENU

Bilardo nega ter traído Maradona: 'Falarei tudo pelo bem da seleção'

Bilardo nega ter traído Maradona: 'Falarei tudo pelo bem da seleção'

Atualizado: Quinta-feira, 29 Julho de 2010 as 9:02

Bilardo diz que ficou calado pelo bem da  seleção

argentina, mas não estava dormindo (Foto: AFP)  

O coordenador técnico das seleções argentinas de futebol, Carlos Bilardo, negou ter traído Diego Maradona e, sem citar nomes, questionou pessoas que influenciam o maior ídolo do futebol argentino, que deixou o comando da equipe, afirmando que vai falar tudo nos próximos dias. Em seu programa na rádio "La Red", de Buenos Aires, Bilardo respondeu às acusações feitas por Maradona horas antes, e disse que vai falar mais sobre o assunto no início da próxima semana, em entrevista coletiva que ainda será marcada em um hotel. - Não quero que seja na sede da Associação do Futebol Argentino (AFA), pois minha intenção é tirar a entidade desta questão - destacou.

Bilardo prometeu contar tudo na próxima semana "pelo bem da seleção argentina". Decepcionado com o desabafo de Maradona, Bilardo, que foi o treinador de 'El Pibe' na conquista da Copa do Mundo de 1986, no México, disse que "sempre deu a vida por ele".

- Cuidado. Eu sou campeão e vice-campeão do mundo! Dizem que eu dependia de Maradona. Por favor! Ele dependia de mim e de um grupo de jogadores, e todos juntos ganhamos o Mundial. Até a Copa do Mundo do México ele era uma promessa. Mas eu o defendi e o banquei até a morte - afirmou.

Que digam que sou 'maricas' ou que saí com 20 mil mulheres. Falarei tudo, pois fiquei calado, mas não estava dormindo" Carlos Bilardo O coordenador técnico admitiu que aguentou calado os desmandos de Maradona e seu corpo técnico durante as eliminatórias sul-americanas do Mundial da África do Sul "pelo bem da seleção argentina".

- Mas não posso me calar mais. Agora vou contar tudo, e vou aguentar as respostas que vierem. Que digam que sou 'maricas' ou que saí com 20 mil mulheres. Falarei tudo, pois fiquei calado, mas não estava dormindo - afirmou.

Bilardo lembrou que disse que deixaria a seleção caso a AFA demitisse Maradona após a goleada por 6 a 1 que a Argentina sofreu em La Paz contra a Bolívia em jogo das eliminatórias, em abril de 2009.

- Agora fico, porque vou controlar o que ocorre com a seleção. Se Diego fosse demitido, eu sairia. Mas como não foi... - afirmou, lembrando que a AFA não demitiu o treinador, mas decidiu não renovar o contrato, que valia até o fim da Copa.

Bilardo garantiu que foi ele quem insistiu para que Maradona fosse contratado como técnico, com a assinatura de um contrato de quatro anos, afirmando ainda que ele teve tudo para que pudesse trabalhar. Além disso, atacou alguns de seus colaboradores, sem dar nomes:

- Defendi e defendo Maradona, com quem há uma amizade de muitos anos. E estou certo de que ele não é culpado. O problema são as pessoas que o cercam, os bichinhos que o rodeiam - concluiu.   Por Das agências de notícias Buenos Aires

veja também