MENU

Bola de Ouro, Messi tem média de gols amplamente superior em 2010

Bola de Ouro, Messi tem média de gols amplamente superior em 2010

Atualizado: Terça-feira, 11 Janeiro de 2011 as 9:40

Esqueçam a campanha fracassada da Argentina na Copa do Mundo ou a eliminação para o Inter de Milão na Liga dos Campeões. Os números, já dizia a famosa frase, não mentem. E o ano de 2010 para a pessoa física Lionel Messi foi o melhor de sua carreira. Mas por que tamanha surpresa com a segunda consagração de melhor do planeta?

As respostas estão ligadas à sua pessoa jurídica, o Barcelona. Campeão de absolutamente tudo em 2009, os catalães “somente” repetiram um terço em 2010: a Supercopa da Espanha e o Campeonato Espanhol. O craque argentino deve ter sua parcela de culpa por isso, é bem verdade, mas também pode ostentar a maior média de gols de sua carreira, amplamente superior ao ano anterior: 0,93 a 0,62 redes balançadas por jogo.

Lionel Messi também jogou mais em quantidade em 2010. Foram 64 jogos e incríveis 60 gols, enquanto disputou 58 partidas e anotou “apenas” 36 gols, em ambas as temporadas contando as discretas participações pela seleção argentina, seja em eliminatórias, amistosos ou Copa do Mundo.

Levando-se em conta apenas as exibições individuais, Messi deu ao menos seis motivos para a própria torcida pagar duas vezes o ingresso para vê-lo em campo. Marcou o chamado hat-trick (três vezes em uma só partida) em cinco oportunidades, além do show diante do Arsenal, pelas quartas de final da Liga dos Campeões, quando anotou os quatro gols do Barcelona na goleada por 4 a 1.

Desde a instauração do prêmio da Fifa, que neste ano se uniu com a Bola de Ouro da revista francesa “France Football”, sempre um integrante da seleção campeã do mundo conquistava o prêmio, assim como ocorreu nas últimas cinco edições: com Romário (1994), com o francês Zinedine Zidane (2002), com Ronaldo (2002) e com o italiano Fabio Cannavaro (2006).

Com um gol e ótima exibição diante do Deportivo La Coruña, no último sábado, Messi provou estar começando 2011 com o pé-esquerdo. Para ele é melhor assim. O pré-adolescente com problemas de crescimento no Newell’s Old Boys se agiganta a cada ano.

Por: Victor Canedo

veja também