MENU

Borges daz dois gols, mas Coritiba vence Santos, que volta ao Z-4

Borges daz dois gols, mas Coritiba vence Santos, que volta ao Z-4

Atualizado: Quinta-feira, 18 Agosto de 2011 as 8:32

O encontro entre Santos e Coritiba, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, não passou perto do brilho dos jogos das equipes no primeiro semestre. Com títulos e muitos gols, Peixe e Coxa encantaram o Brasil com um futebol envolvente. No Brasileirão, porém, caíram de produção. Os times fizeram uma partida de muitas faltas, com 15 cartões amarelos e dois vermelhos (ambos para o Peixe). Num jogo sem glamour, o Coxa conseguiu ser mais eficiente e venceu por 3 a 2, de virada.

Com o resultado, o time paranaense subiu uma posição na tabela do Campeonato Brasileiro. Está em nono, com 24 pontos. Já o Peixe, que teve Dracena e Pará expulsos, agoniza na 17ª colocação, a primeira da zona de rebaixamento, com 15 pontos e dois jogos a menos que os demais concorrentes. Os jogadores alvinegros ainda saíram de campo ouvindo vaias no final da partida. O único aspecto positivo da partida para a equipe santista é que Borges, mesmo desperdiçando um pênalti, fez dois gols e assumiu a artilharia do Brasileirão, com dez tentos, um a mais que Ronaldinho Gaúcho, do Flamengo.   O Santos volta a campo no próximo domingo. Enfrenta o Bahia, às 18h30m (horário de Brasília), em Salvador. Já o Coritiba visita o Avaí, no mesmo dia, mas às 16h, na Ressacada.

Borges artilheiro Robinho esteve na Vila Belmiro para assistir ao

jogo (Foto: Agência Estado)     Os torcedores do Santos ainda se ajeitavam nas arquibancadas quando Pará desceu pela direita e cruzou para Borges testar com perfeição, acertando a bola entre as pernas do goleiro Edson Bastos: 1 a 0. Parecia que o Peixe seria avassalador. Ficou só na promessa. Sob olhar de Robinho, que levou o filho, Róbson Júnior, para assistir à partida, a equipe alvinegra caiu no marasmo.

Logo depois do gol, o time da casa recuou e deu chances para Tcheco e Léo Gago aparecerem nas bolas paradas, sendo que o segundo ainda carimbou a trave de Rafael em cobrança de falta. Com Ganso apagado e o meio de campo falhando muito na marcação, o Santos parecia esperar o empate. Que acabou acontecendo aos 34 minutos. Léo Gago se aproveitou de um vacilo de Pará e cruzou para Jeci, que, sozinho, subiu para fazer o 1 a 1 de cabeça. Uma pane geral da defesa santista: todo mundo parou pedindo um impedimento inexistente.

O placar fez o time alvinegro acordar. Mas a equipe ainda pecava nas finalizações - perdeu gols com Borges e Neymar. Com a vitória do Atlético-PR sobre o Cruzeiro, por 2 a 1, o Santos desceu para o intervalo já na zona de rebaixamento.

Peixe perde pênalti, e Coxa vira Se as estrelas Neymar e Ganso não brilhavam na Vila Belmiro, um coadjuvante de luxo apareceu. Quando o segundo tempo começava morno, Borges mostrou a marca de artilheiro. Após jogada individual de Neymar e um cruzamento certeiro de Pará, o camisa 9 só empurrou para o gol.

O placar de 2 a 1 trouxe o torcedor mais para perto do time e lançou um novo artilheiro no Campeonato Brasileiro. Na sua 13ª partida pelo Santos, Borges atingiu o décimo gol. E colocou pressão em Ronaldinho Gaúcho, que está suspenso e nesta quinta-feira desfalca o Flamengo contra o Atlético-GO, no Rio. Ele só joga domingo, contra o Inter, no Beira-Rio.     Jeci comemora o primeiro gol do Coxa sobre o Santos (Foto: Leandro Amaral/Agência Estado)     Mas a torcida - 5.143 pessoas estiveram na Vila Belmiro - que cantava empolgada logo murchou de novo, porque novamente o Santos deu espaço para o veloz ataque do Coritiba. Em uma bela jogada do Coxa, Marcos Aurélio soltou o pé depois do cruzamento de Jonas e mudou o placar para 2 a 2.

O Peixe ainda teve a chance de voltar à frente. Neymar sofreu pênalti de Léo Gago, mas Borges desperdiçou a possibilidade de fazer a “hat-trick” na partida. Ele cobrou no cantinho esquerdo, mas Edson Bastos conseguiu defender. O lance abateu demais os santistas, que perderam a cabeça. Pará fez falta dura e, como já tinha o amarelo, foi expulso. Dracena deixaria o campo logo depois, excluído por reclamação.

Com dois jogadores a mais, o Coxa passou a comandar todas as ações. Leonardo sofreu falta dentro da área, cometida por Rafael, mas o juiz ignorou a penalidade e ainda advertiu o jogador da equipe paranaense. A pressão era tanta, que o Alvinegro Praiano  torcia pelo fim da partida. Havia tempo, porém, para mais um gol. Do Cortiba. Léo Gago recebeu livre na direita e avançou com velocidade. Na saída de Rafael, acertou o canto esquerdo do goleiro santista para selar o 3 a 2.

veja também