MENU

Botafogo segue 'rotina de decisões' no Engenhão: rival agora é o Ceará

Botafogo segue 'rotina de decisões' no Engenhão: rival agora é o Ceará

Atualizado: Quarta-feira, 25 Agosto de 2010 as 9:50

Chegar ao G-4 não é fácil. Mas permanecer é ainda mais complicado. Prova disto é o Ceará, que ficou na zona de classificação para a Libertadores durante dez partidas e caiu para sexto na 14ª rodada. No último fim de semana, com a vitória por 2 a 1 sobre o Grêmio, voltou a entrar no tão desejado grupo. Agora, não quer sair. E o Botafogo também pegou gosto. Na mesma 14ª rodada, quando os cearenses saíram, os cariocas entraram. Nesta quarta-feira as duas equipes medem forças no Engenhão, às 19h30m (de Brasília), pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Se o Ceará vem de triunfo sobre o Tricolor gaúcho, o Botafogo bateu o Avaí por 1 a 0. Com isso, chegou à terceira colocação, com 24 pontos, mesma pontuação que os adversários, mas com saldo de gols mais positivo: nove a quatro. Se vencer, aliás, será o quinto triunfo seguido do Glorioso, fato que não acontece há dois anos. A última vez que conseguiu sequência parecida foi em 2008, com sete vitórias consecutivas.

A partida é a primeira do clube contra uma equipe cearense no Engenhão. Mas, no que depender do retrospecto em casa, a torcida pode ficar otimista. Pela Primeira Divisão do Brasileiro, o time nunca perdeu para uma equipe do Ceará jogando no Rio de Janeiro.

O GLOBOESPORTE.COM acompanha em Tempo Real, com vídeos, a partir de 19h (de Brasília). O Premiére Futebol Clube transmite para todo o Brasil, pelo sistema pay-per-view.

Mais um ‘clássico’ no embalo de Maicosuel Se tem um jogador emblemático na fase atual alvinegra este é Maicosuel. Desde que entrou no time, contra o Vitória, teve 100% de aproveitamento. Os 12 pontos conquistados nestes jogos garantiram o salto na tabela: de décimo para terceiro colocado.

Mas são as boas atuações coletivas que fazem Joel Santana crer que o time não deve sofrer alteração. Além disso, nesta semana o técnico teve apenas dois dias de trabalho. Na segunda, treino regenerativo na sala de musculação de General Severiano. Na terça, rachão. Com isso, ele não pôde testar diferentes opções e decidiu manter a equipe que venceu o Avaí no último sábado. A única novidade é a volta de Alessandro, que cumpriu suspensão. Desta forma, Somália volta para o meio de campo.

O jogo é considerado mais uma decisão, já que, pela segunda vez seguida o time recebe em casa um adversário direto do G-4, como aconteceu contra os catarinenses, que ocupavam o terceiro lugar.

- Tem que ter paciência e equilíbrio. O Ceará é um time que sabe jogar e, se tem o mesmo número de pontos que nós, então, é porque é uma boa equipe. Não podemos esquecer que eles ganharam do líder (1 a 0 no Fluminense na primeira rodada) e empataram com o vice-líder (0 a 0 contra o Corinthians, na oitava rodada) – disse Joel Santana.

Quem segue fora do time principal é o atacante Loco Abreu. Desde que voltou da Copa do Mundo o uruguaio não é escalado entre os 11 iniciais. Ele será opção para Joel no banco de reservas.

Semana de saídas

O técnico Mário Sérgio continua a enxugar o elenco. Após afastar Adilson, Elvis, Jean, Erivélton, Renato, Arlindo Maracanã, Andrezinho, Marcos Pimentel, Gabriel, Aílton, Erick Flores e Clodoaldo, a bola da vez foi o lateral Diogo, completando assim mais de um time.

Se 13 atletas estão fora, ainda faltam três para estrear. É o caso do meia colombiano Javier Reina, do atacante Jean Carlos e do lateral-esquerdo Vicente, recém-contratado. Porém, satisfeito com a formação que terminou o jogo contra o Grêmio, o treinador deverá mantê-la para a partida desta quarta-feira, no Rio de Janeiro.

Anderson, Fabrício, Diego Sacoman e Heleno, que mesmo sendo volante atuará mais recuado, devem formar uma linha de quatro fixa, liberando mais os jogadores de meio-campo. A dúvida fica por contra de Careca ou João Marcos, enquanto o ataque deverá ter Washigton e Wellington Amorim. Segundo Mário Sérgio, por terem idades avançadas, Magno Alves e Geraldo não manteriam o mesmo ritmo durante os 90 minutos e, portanto, ficam como opção para a etapa complementar.

- O Botafogo vive um bom momento. Maicosuel, Herrera e Jóbson são jogadores muito rápidos e que podem nos dar muito trabalho. Por isso, desde que voltamos nossas atenções para esse confronto, tenho conversado com meus companheiros da zaga para evitarmos surpresas – analisou o zagueiro Anderson.

veja também