MENU

Brasil faz sua melhor campanha no Pan-Pacífico, mas Cielo se desculpa

Brasil faz sua melhor campanha no Pan-Pacífico, mas Cielo se desculpa

Atualizado: Segunda-feira, 23 Agosto de 2010 as 9:17

Com oito medalhas, a seleção brasileira de natação garantiu em Irvine sua melhor participação no Campeonato Pan-Pacífico. Mesmo assim, não é possível dizer que todas as metas foram alcançadas. Alguns nadadores tiveram desempenho aquém das expectativas. Principalmente o campeão olímpico e mundial Cesar Cielo, que decepcionou ao ser prata nos 50m livre e bronze nos 100m livre .

Cielo abriu a competição com uma medalha de ouro nos 50m borboleta . No dia seguinte, depois de quase ficar fora da final, terminou em terceiro lugar nos 100m livre. Exausto, acabou até sendo poupado do revezamento 4x100m livre. Mesmo nos 50m livre, prova em que estava mais confiante, bateu na trave e levou a prata.

- O quadro de medalhas foi superbom para gente. Não tem realmente do que reclamar. Podia ter sido melhor da minha parte. As falhas maiores foram as minhas. Peço desculpas por qualquer coisa que eu tenha feito – disse Cielo, referindo-se também ao fato de ter pedido para não nadar o revezamento 4 x 100m livre.   Outros nadadores brasileiros também não tiveram o desempenho que era esperado. Destaques da delegação, Guilherme Guido, no costas, Henrique Barbosa, no peito, e Kaio Márcio, no borboleta, ficaram distantes do pódio.

- Nos anos sem Mundial ou Olimpíadas, os nadadores tiram umas férias mais prolongadas ou não estão mais no mesmo ritmo de antes. Então, geralmente, esse ano do Pan-Pacífico é um ano que fica meio morno. Isso permite que o nadador tenha esse tipo de ajuste. Mas, no nível que a natação está hoje, ele acaba perdendo com isso - disse Fernando Vanzella, um dos técnicos da seleção. Por outro lado, Felipe França superou o bicampeão olímpico Kosuke Kitajima nos 50m peito e levou o país ao lugar mais alto do pódio pela segunda vez em Irvine. Thiago Pereira também teve boa participação com dois bronzes nos 200m e 400m medley. Ainda Nicholas Santos foi prata nos 50m borboleta, e Fabíola Molina bronze nos 50m costas.

O Brasil participa do Pan-Pacífico desde 1985, em Tóquio, quando Ricardo Prado foi ouro nos 400m medley e bronze nos 200m medley. Em Victoria-2006, o país também subiu ao pódio com Thiago Pereira e Flávia Delaroli - bronze nos 400m medley e 50m livre, respectivamente. Nas outras edições da competição, nenhum brasileiro ficou entre os três melhores.

- Achei muito importante essa competição depois de todo esse movimento dos trajes. Mostrou que o Brasil realmente está no nível que chegou no Mundial de Roma (2009). É lógico que teve um ou outro nadador que foi pior ou melhor. Mas nós estamos cada vez mais próximos dos grandes times. É uma distância grande, mas, devagarzinho, a gente está chegando – afirmou Vanzella.

veja também