MENU

Brasil sofre 'apagão', mas vence o Canadá na estreia do basquete

Brasil sofre 'apagão', mas vence o Canadá na estreia do basquete

Atualizado: Sexta-feira, 21 Outubro de 2011 as 3:54

Dias antes da estreia no Pan de Guadalajara, Iziane dava a receita. O Brasil teria que jogar com seriedade se não quisesse ser surpreendido. O que foi seguido à risca no primeiro tempo da partida contra o Canadá, quando os 18 pontos de frente permitiram até mesmo que a equipe passasse sem muitos problemas pelo apagão do terceiro quarto: 78 a 53 (43 a 25). O segundo compromisso da seleção será neste sábado, contra a Jamaica. 

Iziane volta à seleção e termina como cestinha (Foto: Jefferson Bernardes / VIPCOMM) No jogo que marcou o retorno de Iziane, depois do pedido de dispensa da disputa do Pré-Olímpico da Colômbia, a ala se precipitou em alguns ataques, mas ainda assim acabou como cestinha ao anotar 16 pontos. A pivô Erika foi a segunda maior pontuadora, com 15, seguida por Palmira (14). Mesmo número marcado por Justine Colley, do Canadá.

O jogo

O jovem time canadense conseguiu equilibrar as ações no início da partida. Diante da precipitação ofensiva da seleção, e com a pontaria certeira da linha dos três, fez o placar se manter igual (10 a 10). Até que o Brasil se arrumou em quadra e começou a fazer o que se esperava dele. Foram sete pontos seguidos contra nenhum das adversárias. Se de um lado Damiris dava trabalho, do outro,Tatham tentava sozinha uma aproximação, mas não obteve muito sucesso: 24 a 15.

Diferença suficiente para que o técnico Ênio Vecchi começasse a chamar suas reservas para o jogo. Se Erika, Iziane e Damiris descansavam, Clarissa chamava a responsabilidade. A diferença passou rapidamente para 11 pontos (30 a 21). Mas cabia mais. A essa altura apenas com a armadora Babi do quinteto titular em quadra, o Brasil marcava melhor e desgarrava no marcador: 38 a 23. O Canadá se empenhava nos rebotes, chegou a ganhar segundas chances, que raramente foram transformadas em pontos. Sem encontrar resistência, a seleção foi para o vestiário com 43 a 25.

Na volta, o que se viu foi uma equipe desconcentrada. O placar só andou para o Brasil após 2m15s, com um lance livre convertido por Erika. O Canadá já tinha feito sete pontos e seguia acreditando que poderia se aproximar ainda mais.  Fez 14 a 5 e forçou o pedido de tempo da seleção: 48 a 39. Ênio Vecchi tentava fazer com que suas titulares voltassem aos trilhos. Se não conseguia, era hora de fazer a rotação.  O panorama não mudou muito: 57 a 47.

O bom momento no início do último quarto fez o Brasil respirar aliviado novamente. Tassia e Palmira deixaram o banco e deram fôlego novo à seleção. O time fez 66 a 50 e voltou a subir de produção, colocando um ponto final em qualquer tentativa de reação canadense.          

veja também