MENU

Brasileiros que jogaram na NBA torcem por Nenê

Brasileiros que jogaram na NBA torcem por Nenê

Atualizado: Quinta-feira, 3 Fevereiro de 2011 as 4:50

A NBA anuncia nesta quinta-feira, às 21h (horário de Brasília), os 14 atletas escolhidos para integrarem o banco de reservas do All-Star Game. Na torcida por Nenê Hilário, os brasileiros que passaram pela liga norte-americana e hoje disputam o Novo Basquete Brasil (NBB) veem uma conquista pessoal do pivô do Denver Nuggets e creem que os atletas do país estão valorizados na liga norte-americana.

Destaque do último Campeonato Paulista e uma das estrelas do Pinheiros no NBB, Marquinhos atuou por dois anos na NBA, onde passou por New Orleans Hornets e Memphis Grizzlies. O ala não acredita que a possível conquista de Nenê abra novas portas para os brasileiros, que já teriam conquistado o respeito dos norte-americanos.

“É um reconhecimento individual, por tudo o que ele fez na NBA”, disse Marquinhos. “O Nenê tem feito uma grande temporada e merece ser chamado, mas isto não deve mudar em nada a situação dos jogadores brasileiros. Eles já são reconhecidos pelos americanos, tanto que temos quatro atletas atuando por lá”.

A opinião é compartilhada pelo ala Alex. Com passagem de quase dois anos pela NBA, onde defendeu San Antonio Spurs e New Orleans Hornets, o jogador do Brasília disse não ter vivido qualquer tipo de preconceito dos norte-americanos para com atletas brasileiros e acredita que a possibilidade de Nenê disputar o All-Star Game é um mérito pessoal do pivô.

“Representa o reconhecimento por tudo o que fez até agora. Está fazendo uma temporada muito boa neste ano e será merecido se ele for chamado”, comentou Alex. “Estive lá e convivi [com os norte-americanos]. Se você mostrar seu valor, vai ter espaço”.

Já Bábby acredita que a possível escolha de Nenê pode valorizar ainda mais os atletas brasileiros na NBA. Oitava escolha no draft de 2004 e com a experiência de três temporadas na NBA, onde integrou Toronto Raptors e Utah Jazz, o pivô do Flamengo também lembrou da vitória pessoal de Nenê ao superar um câncer nos testículos e voltar em alto nível.

“É mérito do trabalho dele, que passou por várias dificuldades e está se encaixando agora na liga após tantos anos”, disse Bábby. “É um jogador de ponta, um cara que o Denver sempre confiou no trabalho dele. Teve uma doença que deve tê-lo abalado um pouco seu lado psicológico, mas fico feliz por ele ter dado a volta por cima. É importante, pois valoriza e abre portas para o jogador brasileiro. Começam a ter mais respeito”.

Terceiro mais votado entre os pivôs da Conferência Oeste, Nenê vive a expectativa de ser chamado para o All-Star Game. Preferido na eleição popular, o chinês Yao Ming está lesionado e não participará do evento. Seu substituto será definido pelo comissário da NBA, David Stern. Já os reservas serão definidos em uma eleição entre os 30 técnicos que disputam a liga.

Por Daniel Neves

veja também