MENU

Brasília estreia com vitória sobre o atual campeão da Liga Sul-Americana

Brasília estreia com vitória sobre o atual campeão da Liga Sul-Americana

Atualizado: Sexta-feira, 26 Novembro de 2010 as 7:31

Não houve tempo para pensar. Quando o Quimsa piscou, o Brasília já tinha dez pontos de frente com pouco mais de cinco minutos de jogo. O atual campeão da Liga Sul-Americana, que tinha passado pelo Espartanos (VEN) na quarta-feira, foi derrotado por um adversário atento, coeso e que empregou um ritmo forte no primeiro tempo. Ingredientes que conduziram o dono do título brasileiro ao triunfo em sua partida de estreia no hexagonal final do torneio: 95 a 89 (62 a 35).

- Saio contente. No vestiário foi falado que íamos encontrar mais dificuldades e que alguns lances duvidosos poderiam cair para eles. Só é triste porque perdemos um pouco a cabeça, nos focamos muito na arbitragem. Mas o jogo em si foi excelente - afirmou Nezinho ao SporTV.

Num dia em que os ataques criminosos na cidade dominaram os noticiários e fizeram até mesmo a Federação de Vôlei adiar a final do Campeonato Estadual entre Rio de Janeiro e Macaé, as duas partidas da segunda rodada da Liga Sul-Americana não estiveram ameaçadas de passar pelo mesmo. A Associação de Basquete Sul-Americana (Abasu) optou por cumprir o calendário. Segundo o presidente da entidade, Gerasime Bozikis, o Grego, não foi cogitada a hipótese de não realizar os jogos.

- As equipes estão saindo com antecipação do hotel. E estamos monitorando o que está acontecendo pela TV. Sabemos que vai atrapalhar em termos de público porque está sendo pedido para que as pessoas não saiam de casa. Cancelar uma competição internacional é complicado porque há voos marcados e itens a serem cumpridos. Enquanto não houver nada que não impeça que a organização siga, vamos dar continuidade. Nenhuma equipe está apavorada - disse. Mas outra vez o público foi mínimo. Apesar do silêncio na Arena da Barra, o Brasília tratou de fazer a sua voz prevalecer em quadra. Vibrou mais, jogou mais e fechou o primeiro quarto com uma confortável vantagem: 32 a 19.

De três em três pontos, a equipe construía a vitória. Só no primeiro tempo foram 27 pontos em chutes de longa distância. Do outro lado, o Quimsa não tinha o mesmo aproveitamento. Via o adversário se agigantar tanto no ataque quanto na defesa. Via Nezinho, Guilherme e Alex tomarem as rédeas do confronto: 62 a 35.

Apesar do placar, os argentinos acreditaram que poderiam arrumar uma maneira de diminuir o prejuízo. Conseguiram. A frente que tinha chegado a 30 pontos caiu pela metade. A concentração e o volume de jogo já não eram os mesmos, assim como a paciência do técnico José Carlos Vidal, que deu o seu recado depois de ver marcador no fim do terceiro período: 77 a 65.

- Se perder não vai ter como dar desculpa depois dos pontos que tínhamos de frente.

As palavras mexeram com o time. Lucas Tischer respondia com uma enterrada e o banco com vibração. Arthur acertava a mão da linha dos três e a defesa voltava a se empenhar. Só que o Quimsa também fechava a porta. Foi aí que a velocidade entrou em cena e permitiu que o Brasília pudesse respirar aliviado.

veja também