MENU

Bruno quer resgatar status de substituto imediato de Marcos

Bruno quer resgatar status de substituto imediato de Marcos

Atualizado: Terça-feira, 22 Fevereiro de 2011 as 12:53

No clube desde 1997, Bruno já viu muitos goleiros passarem pelo Palmeiras. E sempre optou por permanecer no clube, ao invés de alçar voos fora do Palestra Itália. Treinando com os profissionais desde 1999, quando pôde conhecer melhor o técnico Luiz Felipe Scolari, o arqueiro será o titular da equipe na partida desta quarta-feira, contra o Comercial-PI, pela estreia na Copa do Brasil, pois Marcos e Deola estão fora de combate. E espera que, no lugar de camisa 12, ele possa provar mais uma vez que tem condições de ser o substituto natural do ídolo palmeirense.

- Aqui tem um histórico de goleiros. O Zetti machucou e o Velloso entrou. Depois veio o Marcos, o Diego o substituí, eu entrei, em seguida o Deola... E goleiro é assim: passa de terceiro para primeiro em um treino. Tem de estar preparado até o último jogo da vida, mesmo que não seja nem banco - afirmou Bruno, de 26 anos, que atuou no 0 a 0 com o Mogi Mirim, no fim de semana.

Revelado nas categorias de base do Palmeiras, Bruno já foi o principal reserva de Marcos. No entanto, uma lesão no dedão do pé direito no início de 2010 fez com que ele perdesse a chance de substituir o arqueiro nas partidas. Deola foi bem nos jogos e acabou assumindo o posto. Hoje, o camisa 22 se reveza com Marcos na meta alviverde.

- Nunca desanimei, sempre soube da minha capacidade. Joguei em 2008 ne 2009, e o Deola no ano passado. Nós brincamos que o Marcos tem de jogar quando quiser e, quando parar, vamos nos matar para jogar. Mas todos que estão aqui têm condições de jogar - afirmou, lembrando que o time ainda conta com Rafael Almeão e Fábio.

Bruno quer aproveitar a chance que terá contra o Comercial-PI para ter a oportunidade de jogar mais vezes no ano. Por isso, ele classifica todas as partidas como se fossem "finais de Copa do Mundo". E afirma que a confiança que Felipão tem no seu futebol o motiva ainda mais.

- É motivo de orgulho para mim. Ele chegou no Paulista de 97 e eu no meio do ano. Estou desde 99 no time profissional. Nós nos conhecemos faz tempo e ter moral com o treinador como ele me deixa feliz.    

veja também