MENU

Caio marca três, vira para cima do Santos, e garante o Avaí na Série A

Caio marca três, vira para cima do Santos, e garante o Avaí na Série A

Atualizado: Segunda-feira, 29 Novembro de 2010 as 8:25

Foi carregado de emoção e com a força da torcida durante os mais de 90 minutos de jogo: com uma vitória guerreira e um herói incansável, o Avaí derrotou o Santos por 3 a 2 na Ressacada neste domingo, e garantiu a permanência na Série A para o ano de 2011. O meia Caio, que havia perdido o bom desempenho do início do ano, fez os três gols da vitória do Leão, depois de ver seu time sair atrás no placar em dois gols, e conseguiu a sonhada vitória.

O torcedor, às lágrimas na arquibancada, mantinha um olho em campo, outro no placar, que informava o resultados dos concorrentes diretos do time catarinenses, Vitória, Atlético-GO e Flamengo durante a rodada.

Com 43 pontos, o Leão escapou do Z-4. Na próxima rodada, o Avaí enfrenta o Atlético-PR na Arena da Baixada, mas sem mais preocupações, já que o confronto direto contra o rebaixamento entre Vitória e Atlético-GO definirá a última equipe a cair para a Série B. O Santos, que não briga pelo título e também já tem vaga assegurada na Libertadores de 2011, se manteve com 55 pontos, em sétimo lugar.

Vantagem santista dura apenas parte do primeiro tempo

A indiferença santista pelo restante do campeonato não pareceu ter entrado em campo junto com o time. O principal personagem alvinegro foi o atacante Neymar, que entrou com disposição suficiente para mostrar à diretoria que não pretende tirar férias do Brasileiro para descansar antes de defender a Seleção Brasileira Sub-20, no Campeonato Sul-Americano, no Peru.

O placar foi aberto aos nove minutos. Neymar fez uma bela jogada individual e puxou a bola para a linha de fundo, depois de driblar Emerson. Sem ângulo, conseguiu lançar para a pequena área e o goleiro Renan, após conseguir agarrar a bola, soltou-a aos pés de Keirrison que, sem jeito, empurrou com a coxa para o gol.

Aí o desespero bateu: o Avaí sabia que ficava outra vez com a corda no pescoço, entrando no lugar do Vitória na zona do rebaixamento. O sentimento foi compartilhado pelos 11 jogadores do Leão em campo, que partiram para cima do visitante. Em apenas dois minutos, o goleiro Rafael foi exigido três vezes, em belas defesas.

Apesar da pressão do time de Florianópolis, insistindo em dar trabalho para o camisa 1 do Peixe, Neymar, que acabara de receber um cartão amarelo por acertar um adversário sem bola, apareceu outra vez. Aos 32 minutos, em um contra-ataque que começou com Arouca, o jovem atacante recebeu e disparou em velocidade, para bater no canto esquerdo do gol, na entrada área, ampliando a vantagem santista para 2 a 0.

Mas  justiça foi feita pouco depois. Como se estivesse brincando de “bobinho”, Caio passou por toda a defesa santista com tamanha facilidade que parecia não ter adversários em campo. Em uma jogada espetacular, driblou meio time rival e bateu na saída de Rafael.

E não parou por aí. No último minuto do primeiro tempo, ele brilhou outra vez: dando trabalho para a zaga rival, puxou para o meio em busca de espaço e arriscou de fora da área, em bola que Rafael não alcançou. Placar igual em 2 a 2, e a retomada da 16ª colocação, fora da zona do rebaixamento.

Caio, o nome do jogo, salva o Avaí

Na segunda etapa, o Avaí continuou dando mais trabalho, enquanto as raras chances alvinegras aconteciam em furtivos contra-ataques, comandados por Neymar. Mais do que as jogadas do seu próprio time, a arquibancada foi à loucura a cada resultado dos rivais que apareciam no telão: Vitória, que, apesar de sair na frente do Inter, sofreu o empate, e o Atlético-GO, que tomou um gol do São Paulo, antes de conseguir igualar. Com os resultados que se encaminhavam, a torcida do Leão sabia que, mesmo com o 2 a 2, ao apito final, o time estava livre do rebaixamento.

Aos gritos emocionados da arquibancada, que não parou de tremer com a força da maré azul e branca, Caio selou de vez a sorte, retomando o bom desempenho que teve no início do campeonato. De fora da área, o meia recebeu a bola aos 36 minutos e acertou precisamente o ângulo direito de Rafael. O Leão da Ressacada virava, e assegurava, enfim, a permanência na Primeira Divisão nacional.

veja também