MENU

Carência na criação faz Palmeiras compensar com mais chutes a gol

Carência na criação faz Palmeiras compensar com mais chutes a gol

Atualizado: Sexta-feira, 5 Agosto de 2011 as 11:26

Palmeirenses comemoram gol de Assunção: bola

parada vem decidindo (Foto: Agência Estado)

  O Palmeiras ainda carece de criatividade no meio-campo, mas tenta suprir isso com mais chutes a gol. Com Valdivia voltando aos poucos à boa forma, o time de Luiz Felipe Scolari tenta depender menos dele e mais das finalizações em série neste Campeonato Brasileiro. Após 14 rodadas, o Verdão é o segundo que mais chuta à meta adversária na competição – 202 finalizações, média de 14,4 por jogo. Apenas o Atlético-MG, com 214, supera a equipe paulista.

O time tem sido eficiente no fundamento, tanto que fez 20 gols e está entre os ataques mais efetivos do Brasileirão. No empate por 1 a 1 contra o Coritiba, nesta quarta-feira, o Verdão teve situação incomum: viu seu adversário finalizar bem mais a gol. Foram 16 chutes do Coxa contra apenas oito do time de Felipão, a maioria em bola parada – incluindo o gol de Marcos Assunção.

- Não somos um time que tem chutado tantas vezes a gol, nós criamos um pouco menos, mas quando chutamos fazemos com boa qualidade. Contra o Coritiba tivemos oportunidades, mas mais de bola parada – admitiu o técnico.  

Os números mostram que a bola parada é mesmo a jogada mais efetiva do Palmeiras. Marcos Assunção é responsável por 23% das finalizações do time – 46 até agora. O número faz dele um dos que mais chuta a gol no campeonato, ao lado de Leandro Damião, do Inter. Não bastasse isso, o volante é, disparado, o maior cobrador de faltas do Brasileiro: 33, mais que o dobro de Elkeson, do Botafogo, segundo colocado no quesito (16). Assunção deixou seus gols de falta nos últimos dois jogos, contra Coxa e Atlético-MG.

- O Assunção é o melhor do time no quesito bola parada, é um jogador que dita o jogo e tem passe com muita qualidade. Ele é um dos melhores que possuímos, mas não temos um específico que seja tratado como o melhor. Mas que ele faz a diferença, isso faz – reconheceu Felipão.

Nas finalizações e na bola parada, o Verdão já está bem servido. Falta mesmo a criação, representada quase que unicamente por Valdivia. Após quatro jogos consecutivos como titular desde o retorno da Copa América, o Mago se mostra mais ligado e participativo em campo. Aos poucos, Felipão espera ter em seu camisa 10 a peça que falta para o Palmeiras se tornar ainda mais competitivo.        

veja também