MENU

Carma de Tite, setor de criação terá a nona dupla diferente na temporada

Carma de Tite, setor de criação terá a nona dupla diferente na temporada

Atualizado: Sexta-feira, 27 Maio de 2011 as 9:35

Alex chegou ao Corinthians chutando para longe o rótulo de “salvador da pátria”. Mas não adianta fugir. Com R$ 14 milhões investidos na contratação do ex-colorado, diretoria e comissão técnica esperam que o problema na armação acabe de uma vez por todas. Enquanto o novo cérebro alvinegro não estreia, Tite colocará em ação neste domingo, contra o Coritiba, às 16h, em Araraquara, pelo Brasileirão, a nona dupla diferente na criação desde o início: Morais e Danilo. Nenhum outro setor sofreu tantas mudanças.

Danilo e Morais formarão a nona dupla de criação do Timão (Foto: Montagem sobre foto do Globoesporte.com)

  O treinador não tinha a intenção de mudar a equipe depois da vitória por 2 a 1, de virada, sobre o Grêmio, em Porto Alegre. Entretanto, Ramírez foi convocado para as seleção peruana e abriu espaço para Danilo tentar mostrar que ainda pode ser titular. Contratado em 2010, o jogador nunca se aproximou do bom futebol que exibiu no Goiás ou no rival São Paulo.     Apesar de terem atuado juntos no empate por 2 a 2 com o São Bernardo, quando o Timão utilizou uma formação reserva por causa da Libertadores, Danilo e Morais não fizeram a mesma função. Naquela ocasião, o ex-vascaíno formou a dupla de ataque com Edno, enquanto o ex-são-paulino esteve na criação com Ramírez.

- As oportunidade aparecem. Estou treinando e dando meu máximo. Nosso grupo é bom, mas só 11 jogam, e quem decide é o treinador. O importante é estar bem, treinando ao máximo e esperando. Vou procurar ir bem para não sair mais – afirmou Danilo.

Manter a regularidade, aliás, é o grande problema do meio de campo. No início do ano, ainda com Jucilei à disposição, Tite tentou transformar Paulinho no novo Elias e jogando ao lado de Bruno César. O desempenho não agradou. Para enfrentar o Tolima-COL, pela fase prévia da Libertadores, mudou para Bruno César e Jorge Henrique. Em Ibagué, outra alteração, agora para Paulinho e Jorge Henrique. Resultado? Corinthians eliminado.

A dolorosa queda no torneio internacional acarretou em novos testes. Sobrou para Bruno César, que foi de artilheiro do time em 2010, com 15 gols, para a quarta opção do meio de campo. Ramírez chegou do Universitario-PER e logo virou titular ao lado de Danilo. Também não deu certo. Muita lentidão e pouca criatividade.

A má fase refletiu no ataque. Nas sete primeiras rodadas do Paulistão, o Corinthians tinha anotado somente sete gols. Para Tite, o problema não era a má pontaria dos atacantes, mas, sim, a falta de uma armação consistente.

- O índice é baixo. Nós precisamos melhorar e esse ajuste reflete na criação. É o primeiro estágio. Depois, vem a conclusão – reconheceu o treinador na ocasião.

Morais também teve suas oportunidades ao longo da primeira fase do Paulistão. Ele e Bruno César foram quem mais atuaram como titulares – 12 vezes. Mas, na reta final, o jogador acabou perdendo espaço para o “Chuta-Chuta”, que voltou a ser aproveitado, desta vez ao lado de Jorge Henrique, mais recuado. Apesar de exibições irregulares, o Timão avançou à final e ficou com o vice-campeonato estadual.

Até o confronto passado, Tite havia utilizado em 2011 nada menos que oito duplas de armadores diferentes. A mais comum foi formada por Bruno César e Jorge Henrique (seis vezes). Ela é seguida por Danilo e Ramírez, além de Jorge Henrique e Morais (ambas com cinco).

A partir de 3 de agosto, quando será aberta a janela de inscrições para atletas vindos do exterior, Alex será titular absoluto. Quatro jogadores brigaram pela outra vaga. Serão pouco mais de dois meses para convencer Tite. Quem não for aprovado dificilmente continuará no clube em 2012. A disputa já começou!          

veja também