MENU

Carpegiani acena com 'dura' em Richarlyson após cartão vermelho

Carpegiani acena com 'dura' em Richarlyson após cartão vermelho

Atualizado: Segunda-feira, 22 Novembro de 2010 as 8:30

O técnico Paulo César Carpegiani justificou a goleada sofrida pelo São Paulo para o Fluminense por 4 a 1 com as expulsões de Xandão e Richarlyson no segundo tempo, quando o jogo na Arena Barueri ainda estava empatado por 1 a 1. O resultado levou o adversário à liderança do Brasileiro, com 65 pontos, um a mais do que o Corinthians, que empatou com o Vitória. O comandante são-paulino defendeu Xandão pela falta em Fred e não gostou da atitude de Richarlyson, que reclamou de forma ofensiva com o árbitro (veja o lance no vídeo abaixo). Por conta disso, o técnico deixou no ar a possibilidade de repreender o volante.

- Foi um jogo atípico. Jogamos da mesma forma que de outras vezes. Encontramos dificuldades no primeiro tempo, quando o Fluminense chegou mais. No segundo tempo estávamos equilibrando a partida, mas as duas expulsões geraram o desequilíbrio. O Xandão não queria fazer a falta, o que aconteceu foi um esbarrão. Foi um caso de interpretação. O caso do Richarlyson não houve a falta, mas se ele xingou o juiz aí é errado, tem que ter o autocontrole, Essas coisas eu não admito. São coisas internas que serão avaliadas. Se um jogador é expulso, deixa os outros em campo correndo, e com nove é ainda pior. Por isso que disse que tenho uma situação e vou avaliar bem - explicou Carpegiani.

Apesar da goleada, o técnico defendeu os jogadores de um possível relaxamento excessivo em campo diante do Fluminense. O comandante ressaltou que o movimento de entregar o jogo que partiu da torcida jamais atingiu o grupo, e até se mostrou chateado com o comportamento dos torcedores na Arena Barueri, pois a maioria comemorou os gols do Fluminense e se preocupou mais em secar o Corinthians.

- Não tenho que dar esse tipo de explicação (sobre relaxamento), pois confio plenamente nos meus jogadores. Fizemos uma partida como contra o Vasco, tivemos dificuldades, pegamos a melhor formação dentro do que era possível. Aí perdemos um homem por um lance sem intenção e outro por reclamação. Não teve mais como reorganizar a recomposição. Fico triste e envergonhado pela maneira como foi. Mas se formos avaliar o jogo e as circunstâncias não temos o que justificar. Temos a consciência tranquila de ter perdido, pois as expulsões foram fatais.

Por: Carolina Elustondo

veja também