MENU

Carrasco do Santos em 2001, Ricardinho vira a casaca pelo filho

Carrasco do Santos em 2001, Ricardinho vira a casaca pelo filho

Atualizado: Sexta-feira, 13 Maio de 2011 as 10:44

  Ricardinho concorda: o gol marcado na semifinal do Campeonato Paulista de 2001, pelo Corinthians, contra o Santos, a 15 segundos do fim da partida, foi o mais importante de sua carreira (assista ao vídeo). Não à toa é lembrado sempre que Timão e Peixe estão para se enfrentar, como na decisão do estadual deste ano. Só que agora, dez anos depois daquele feito, o meia, campeão pelos dois clubes, deixa de lado o carinho pelo time do Parque São Jorge para torcer pelo clube da Vila Belmiro.

O motivo? Bernardo, de seis anos. Filho mais novo do pentacampeão, o garoto é fã de Neymar, Ganso e cia. Torce pelo Peixe e não admite que o pai seja corintiano. O mais velho, Bruno, de 11 anos, por outro lado, torce pelo time que Ricardinho está jogando. Só que agora, após a rescisão com o Atlético-MG, ele está sem time.

- Na verdade, gostaria que o Corinthians fosse campeão. Mas tenho um filho santista, o Bernardo. Ele está me pressionando para torcer pelo Santos. Então vou torcer. Mas em uma situação normal, gostaria que o Corinthians ganhasse. Já o mais velho, o Bruno, torce pelo time do pai – comentou Ricardinho, que atuou no Timão de 1998 a 2002 e 2006, e no Santos em 2004 e 2005.

Em 2001, Ricardinho decidiu a semifinal do Paulistão a favor do Corinthians (Foto: agência Gazeta Press)    

Dez anos depois...

Exatamente nesta sexta-feira, dia 13 de maio de 2011, aquele gol de Ricardinho completa dez anos. Na ocasião, o empate levava o Santos para a decisão contra o Botafogo-SP. E o jogo estava 1 a 1 até os 47 minutos e 45 segundos da etapa final, quando Ricardinho viu Gil receber de Andrezinho na esquerda, avançar, driblar André Luis e rolar para o seu chute da meia-lua. Marcelinho ainda fez o corta luz. O placar de 2 a 1 levou o Corinthians à final. E mais tarde, a equipe seria campeã.

Fiz outros gols importantes na minha carreira, mas esse é o que teve a maior repercussão. Sem dúvida é o mais importante" Ricardinho.

- Fiz outros gols importantes na minha carreira, mas esse é o que teve a maior repercussão. Sem dúvida é o mais importante. É mais lembrado do que gols que fiz em decisão de campeonato. As circunstâncias ajudaram muito também. O Santos não ganhava títulos há muito tempo, o jogo estava a 15 segundos do fim, o Corinthians não era nem para ter classificado para a fase final... – lembrou.

À época, o Peixe estava sem conquistar títulos há 17 anos. Portanto, os santistas viram em Ricardinho um algoz dos mais cruéis. Só que em 2004, os santistas, já com o título do Brasileirão de 2002 na bagagem, receberam Ricardinho na Vila Belmiro. E assim que chegou, o meia sentiu a cobrança dos funcionários do clube.

- Quando eu cheguei ao Santos, os massagistas, o pessoal da rouparia, todos aqueles que estavam naquela época (2001) vinham falar comigo e dizer que eu tinha roubado o bicho deles naquele ano. Mas eu avisei que ganharia um título no Santos para tentar recuperar aquele prêmio – comentou Ricardinho.

Ele falou e cumpriu. Na conquista do Campeonato Brasileiro de 2004, o meia era uma das principais peças do time comandado por Vanderlei Luxemburgo, o mesmo que levou o Corinthians ao título paulista de 2001.

- O corintiano sempre lembra o gol que fiz no Santos em 2001. A cada dez que me encontram, pelo menos oito comentam sobre aquele gol. Já o santista nem fala. Só comenta do título de 2004, que no fim amenizou bem aquele sofrimento – opinou.

Cadê o ponto eletrônico?  

Ricardinho em ação contra o Santos em 2001 (Foto: agência Gazeta Press)

  As duas partidas das semifinais do Campeonato Paulista de 2001, entre Corinthians e Santos, tiveram um detalhe curioso, obra de Vanderlei Luxemburgo. O meia Ricardinho e o goleiro Mauricio atuaram com um ponto eletrônico nos ouvidos. Era uma estratégia do técnico para orientar o time em campo.

Ricardinho lembra bem disso. Até gostou de ter usado a tecnologia para receber os comunicados do técnico e passar ao restante dos companheiros. Mas depois que fez o gol da vitória, a 15 segundos do fim da partida, ele não sabe onde foi parar o ponto eletrônico. Provavelmente o perdeu na comemoração.

- Eu joguei, sim, com ponto eletrônico. Nos dois jogos. E foi muito proveitoso. O Luxemburgo passava as instruções de posicionamento, pedia atenção, dava orientações. Mas sempre quando a bola estava parada. Só que depois daquele gol eu nem sei onde foi parar o ponto eletrônico – finalizou o meia.

Desde 2009, Ricardinho defendia o Atlético-MG. Na semana passada, porém, as partes entraram em acordo e rescindiram contrato. O meia, então, está em Curitiba, no Paraná, aguardando e analisando propostas de outros clubes.        

veja também