MENU

CBF recebe carta do Timão, mas ampliação de estádio ainda é impasse

CBF recebe carta do Timão, mas ampliação de estádio ainda é impasse

Atualizado: Segunda-feira, 8 Novembro de 2010 as 4:09

A cidade de São Paulo deu um passo importante para sediar a abertura da Copa do Mundo de 2014. Após uma reunião na tarde desta segunda-feira, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, confirmou que o estádio do Corinthians tem grandes chances de receber a primeira partida da competição mais importante do futebol mundial. O anúncio foi feito após um encontro com o governador Alberto Goldman, o prefeito Gilberto Kassab, e o presidente do Comitê Organizador Local (COL), que apresentaram uma carta de intenção do clube paulista.

- Agora vamos seguir o processo e receber o projeto nos próximos dias. Depois de aprovado, vamos atrás das garantias financeiras. Foi importante o apoio do governador e do prefeito. Gostaria de ressaltar que o futuro governador (Geraldo Alckmin) me ligou e colocou-se a disposição para ajudar na construção do estádio.

Para que São Paulo receba a abertura da Copa do Mundo, o estádio corintiano terá que cumprir algumas exigências da Fifa. Por exemplo, ter uma capacidade de aproximadamente 65 mil pessoas. Especula-se que o valor total do projeto esteja em torno dos R$ 600 milhões. O clube paulista já teria R$ 400 milhões para a realização das obras e está procurando parceiros para completar o montante.

- Demos continuidades as conversas que foram já tinham sido iniciadas. O elemento novo e fundamental foi ter o recebido uma carta do Corinthians mostrando todo interesse em ter um estádio que atenda as exigências necessárias para sediar a abertura da Copa. A carta foi enviada ao Comete Organizados de São Paulo e vamos encaminhar ao Comitê Nacional . O projeto será analisado e, com a aprovação, o Corinthians levará a diante a realização e a abertura – disse o governador Alberto Goldman.

A cidade de São Paulo apostava na escolha do Morumbi para a abertura da Copa do Mundo, mas o projeto de modernização do estádio não foi aprovado pela Fifa. O principal problema foi justamente o financiamento. Embora o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) tenha disponibilizado R$ 400 milhões para cada estádio, o São Paulo Futebol Clube não conseguiu apresentar as garantias necessárias para receber o recurso.

Por: Carol Elustondo

veja também