MENU

Chefe do Grupo Lotus não reclama de dois times com o mesmo nome na F-1

Chefe do Grupo Lotus não reclama de dois times com o mesmo nome na F-1

Atualizado: Quinta-feira, 9 Dezembro de 2010 as 9:58

Dany Bahar, presidente do Grupo Lotus, disse que não vê problemas na continuidade do uso do nome "Lotus" pela equipe do empresário Tony Fernandes no próximo ano. A montadora, que pertence à estatal malaia Proton, anunciou na quarta-feira que patrocinará a Renault em 2011, mudando o nome do time para "Lotus Renault GP Team". Com isso, a categoria poderá ter duas equipes com a mesma nomenclatura e com cores iguais: preta e dourada.

Para Bahar, o fato de quatro carros terem o mesmo nome é uma promoção extra para sua marca. Ele não acha que isto possa gerar confusões ou uma disputa entre as equipes.

- Não é um problema para mim. De maneira nenhuma. A polêmica é algo incentivado pela mídia e está sendo tratada por nossos sócios na Malásia e pelos donos da 1Malaysia (nome original do time de Tony Fernandes). Não nos afeta. Para mim, é melhor que tenhamos quatro carros com a marca Lotus do que dois. Não tenho nada contra isso - diz Bahar, em entrevista à rádio inglesa BBC.

Segundo Bahar, o Grupo Lotus achou que seria mais eficiente patrocinar a Renault. Apoiar uma equipe com um ano na categoria não teria um custo-benefício atraente para a marca.

- Para mim é apenas uma decisão estratégica. Construir um time do zero dá muito mais trabalho. Talvez exista mais satisfação com uma equipe nova para alguns, mas acho que o dinheiro investido em um time vencedor dará mais retorno. Acredito que nossa marca tem de participar de todas as atividades no automobilismo com chances de vencer. Por isso escolhemos uma das cinco maiores equipes da Fórmula 1. Estamos atrás de títulos.

Além da F-1, o Grupo Lotus investe na Fórmula Indy e em um projeto de um carro para as 24 Horas de Le Mans. Ele também fechou um acordo com a equipe ART na GP2 e na GP3.

veja também