MENU

Cicinho: 'O Santos não é nenhum bicho-papão'

Cicinho: 'O Santos não é nenhum bicho-papão'

Atualizado: Quarta-feira, 14 Abril de 2010 as 12

É inegável que o Santos possui uma grande vantagem na briga por um lugar na decisão do Campeonato Paulista. Por ter vencido o jogo de ida, no estádio do Morumbi, por 3 a 2, a equipe da Baixada, que já tinha a vantagem de jogar dois resultados iguais por ter feito a melhor campanha na fase de classificação, pode perder por um gol de diferença no próximo domingo. Mas os jogadores do São Paulo não escondem que entrarão em campo mordidos. Principalmente por toda a badalação que envolve os meninos da Vila.

- O Santos não é nenhum bicho papão. Nós somos o São Paulo. Ainda somos a melhor equipe do Brasil. Aqui não é nenhum time pequeno. Não é porque eles têm dois gols de diferença que tudo está definido. Tenho certeza de que eles estão trabalhando muito porque sabem que terão uma pedreira pela frente. Os próprios jogadores do Santos sabem que o time deles não é imbatível. Não é porque conseguiram os dois gols de diferença que eles vão ficar com a mãozinha na cintura esperando o resultado - afirmou o lateral-direito Cicinho.

O camisa 23 deixou claro que a classificação tricolor no próximo domingo terá um sabor especial.

- Sem dúvida, vai nos encher de moral, até para o jogo seguinte, contra o Once Caldas, na próxima semana, pela Libertadores - lembrou o defensor, referindo-se ao duelo que será realizado na próxima quarta-feira, no estádio do Morumbi.

O volante Richarlyson seguiu pela mesma linha de raciocínio.

- Clássico é clássico. O que muda na Vila em relação ao Morumbi será a maior presença da torcida do Santos. O São Paulo mostrou no segundo tempo do último jogo o que pode fazer. Mostramos um poder de reação e quando chegamos ao empate, dava para ver o semblante de preocupação deles. Não tem nenhum bicho de sete cabeças - ressaltou o camisa 20, que deverá voltar ao time titular no próximo domingo.

Para o meio-campista, ele acha que o Tricolor poderá levar vantagem no domingo por ter uma equipe mais experiente.

- A badalação acontece com os meninos da Vila, mas temos um time preparado e experiente. Nesse momento, o trabalho psicológico é até mais importante que o técnico e o tático. E essa badalação, sem dúvida, aumenta a nossa vontade, move o São Paulo - concluiu o jogador.

Por: Carolina Elustondo e Marcelo Prado

veja também