MENU

Colados na tabela, mas em fases distintas, Flu e Figueira medem forças

Colados na tabela, mas em fases distintas, Flu e Figueira medem forças

Atualizado: Quarta-feira, 17 Agosto de 2011 as 9:42

Uma olhada rápida na tabela colocaria como equilibrado o confronto entre Fluminense e Figueirense, nesta quarta-feira, às 19h30m (de Brasília), no Engenhão, pela 17ª rodada do Brasileirão. A distância de apenas dois pontos, no entanto, está longe de representar que cariocas e catarinenses vão medir forças em situações similares. Um abismo distancia a forma como cada um analisa sua campanha na competição.

Também na base do papo, Abel tenta ensinar aos jogadores do Flu o

 caminho para a vitória sobre o Figueira

(Foto: Caio Amy/Photocamera)

  Com 21 pontos e um retrospecto que tem a irregularidade expressada nos números – sete vitórias e oito derrotas -, o Fluminense está longe de se satisfazer com a nona colocação. Atual campeão e com um dos elencos mais caros do país, o Tricolor carioca está em estado de ebulição, com pressão da torcida, que pichou o muro das Laranjeiras pedindo a saída de Abel, e constantes questionamentos sobre sua principal estrela: Fred, mais uma vez ausente, desta vez por dores musculares. Diante do panorama, a máxima “só vencer interessa” se faz muito presente.     Do lado do Figueira, a situação é bem diferente. Os 23 pontos colocam a equipe de Santa Catarina apenas uma posição acima do rival desta quarta, em oitavo, mas o momento é de paz total. Recém-promovido a Série A, o Figueirense é o “intruso” entre os noves primeiros colocados de um campeonato amplamente dominado pelos grandes e chega ao Rio com o moral elevado. O motivo? Na última rodada reagiu e conquistou um empate com o vice-líder Flamengo em partida que, apesar de ser disputada em casa, esteve perdendo por 2 a 0, além de trazer vitórias dos compromissos anteriores, contra Botafogo e Atlético-MG. Leve, o time chega ao Engenhão disposto a surpreender, mas ciente de que um empate não pode ser considerado resultado ruim.

No comando do confronto estará o árbitro Francisco Carlos Nascimento, de Alagoas, auxiliado pelo conterrâneo Pedro Santos de Araújo e pelo pernambucano Erich Bandeira, do quadro da Fifa. O GLOBOESPORTE.COM acompanha todos os lances em Tempo Real, enquanto o PFC transmite a partida para todo o Brasil.

Fluminense: com duas derrotas consecutivas e muito criticado pelos torcedores, o Tricolor entra em campo em busca de paz. Se uma vitória não será suficiente para subir muito na tabela, superará somente o próprio Figueira e, talvez, o Internacional, será importante para amenizar o clima para o clássico do fim de semana, diante do Vasco. Figueirense: há três jogos sem perder (vitória contra Botafogo e Atlético-MG e empate com o Flamengo), o time catarinense busca mais um bom resultado para dar sequência em sua tentativa de aproximação ao G-4. A equipe está a sete pontos do Vasco, que está em quarto lugar.

Fluminense: mais uma vez sem Fred, que se queixou de muitas dores musculares nas duas pernas após a derrota para o Grêmio e foi vetado pelo departamento médico, Abel Braga ao menos terá os retornos de Gum e Edinho nesta partida. Ausentes diante do time gaúcho por cumprirem suspensão, eles retornam ao time nas vagas de Digão e Valencia, respectivamente. No ataque, Rafael Moura substitui o camisa 9 e faz dupla com o xará Sobis. Alvo de críticas por parte dos torcedores, o volante Fernando Bob segue como substituto natural do suspenso Diguinho. A tendência é que o Flu entre em campo com Diego Cavalieri, Mariano, Gum, Marcio Rosario e Carlinhos; Edinho, Fernando Bob, Marquinho e Souza; Rafael Sobis e Rafael Moura Figueirense: o técnico Jorginho, absolvido pelo STJD por causa da expulsão contra o Palmeiras, deve fazer algumas alterações no time em relação ao último jogo. Ele terá novamente à disposição o volante Ygor, que deve entrar no lugar de Jackson. Após o gol contra o Fla, Somália tem chance de entrar na vaga de Fernandes, que seria poupado. A escalação provável: Wilson, Bruno, João Paulo, Edson Silva e Juninho; Ygor, Túlio, Maicon e Elias; Júlio César e Fernandes (Somália).

Fluminense : sem atletas suspensos, o time carioca está cheio de baixas no departamento médico. Além de Leandro Euzébio, Diguinho, Matheus Carvalho e Deco, que estão fora há algum tempo, o Flu perdeu Fred e Araújo após a derrota para o Grêmio. O capitão, que reclama de dores musculares nas duas pernas, foi poupado e deve voltar contra o Vasco, domingo. Por outro lado, Araújo, com um estiramento grau um na coxa esquerda, deve ser desfalque por três semana. Figueirense : o time não sem atletas suspensos para este duelo. Wellington Nem, que pertence ao Fluminense, está fora porque existe uma cláusula contratual que diz que ele não pode enfrentar o clube carioca.

Fluminense: Márcio Rosário, Fernando Bob, Diego Cavalieri, Gum e Marquinho. Figueirense : Aloísio, Coutinho, Elias, Juninho, Rhayner e Túlio.

Fluminense: alvo da ira do torcedor nos últimos jogos, mas ao mesmo tempo muito elogiado por Abel Braga, Fernando Bob está no centro das atenções. Uma boa atuação pode aproximá-lo do apoio dos tricolores, enquanto uma exibição reprovada deve aumentar ainda mais as críticas.  Figueirense : o atacante Júlio César terá uma motivação especial para o duelo com o Tricolor das Laranjeiras. Foi no clube carioca que ele se profissionalizou. Neste Brasileiro, no entanto, ele marcou apenas um gol até este momento.

Abel Braga, treinador do Fluminense: “O Figueirense está bem na competição, é um time organizado, mas precisamos saber usar o que temos de melhor sempre. E não falo só no aspecto técnico ou tático. Falo, fundamentalmente, no aspecto psicológico. É preciso saber conviver com a pressão”.

Túlio, volante do Figueirense: "O Fluminense está pressionado, vem sendo cobrado e podemos explorar a ansiedade da torcida pelo resultado. Sabemos que estamos vivendo um grande momento e esta é uma boa hora para buscar a segunda vitória fora de casa".

* Fluminense e Figueirense já decidiram uma competição nacional: a Copa do Brasil de 2007. Na primeira partida, no Maracanã, aconteceu empate por 1 a 1, gols de Henrique (atualmente no Santos), para os visitantes, e Adriano Magrão. Já na grande final, em Florianópolis, deu Flu: 1 a 0, gol de Roger. Festa tricolor no Orlando Scarpelli. * As duas equipes se enfrentaram 16 vezes em toda história. No retrospecto, vantagem tricolor: sete vitórias, cinco empates e quatro derrotas. Os cariocas marcaram ainda 20 gols e sofreram 13.

* O Figueirense não vence o Fluminense há cinco anos. Neste período, sete jogos foram realizados. O último triunfo catarinense aconteceu em 14 de maio de 2006, por 1 a 0, gol do atacante Soares, que depois passou pelas Laranjeiras, no Orlando Scarpelli.

A última vez que Flu e Figueira mediram forças foi no dia 5 de novembro de 2008, no Orlando Scarpelli, em Florianópolis, para um público de 9.739 torcedores. Arouca, aos 12 do primeiro tempo, foi o responsável pelo gol que deu a vitória ao Tricolor. Neste mesmo ano, o Figueirense acabou rebaixado para Série B.          

veja também