MENU

Com 11 tricampeões, Superliga é lançada para ser 'melhor do mundo'

Com 11 tricampeões, Superliga é lançada para ser 'melhor do mundo'

Atualizado: Terça-feira, 26 Outubro de 2010 as 4:30

No palco, técnicos e jogadores se apertavam para a foto oficial. Estavam quase todos ali, com a exceção do time do Florianópolis, que disputa o Sul-Americano em Buenos Aires. Na apresentação da Superliga Masculina 2010/2011, nesta terça-feira, em São Paulo, o clima era de festa, ainda no embalo da conquista do tricampeonato mundial da seleção na Itália. Com moral pelo título e a presença de onze campeões, o vôlei brasileiro tenta fazer de seu campeonato nacional, que tem início no dia 6 de novembro, o principal e mais difícil do mundo.

O discurso era o mesmo entre técnicos e jogadores, além do presidente da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), Ary Graça, e do Ministro do Esporte, Orlando Silva, presente à cerimônia. Todos citaram ao menos seis candidatos ao título. São 15 times, divididos por seis estados: São Bernardo, Campinas, Pinheiros, Santo André, São Caetano, Sesi e Vôlei Futuro, de São Paulo; Blumenau e Florianópolis, de Santa Catarina; Montes Claros, Cruzeiro e Minas, de Minas Gerais, Sogipa, do Rio Grande do Sul; Londrina, do Paraná; e Volta Redonda, do Rio de Janeiro.

- Esta liga vai fazer inveja a todas as outras. A cada dia, vamos crescer mais, a Superliga será invejada, no bom sentido, e prestigiada – disse o presidente da CBV.

Uma das principais estrelas do campeonato, Giba, do Pinheiros, ressaltou o equilíbrio da disputa.

- A gente já viu no ano passado, que foi muito disputado. Hoje, temos até oito candidatos ao título. Esse equilíbrio dá mais estímulo para jogar.

Melhor jogador do Mundial e apontado como o melhor da atualidade, Murilo talvez seja o principal astro da competição. Para ele, o atual campeonato chegou a um nível tão forte que não compensa mais atuar no exterior.

- Acabamos ganhando praticamente a mesma coisa. Eu saí em busca de um campeonato com o nível mais alto, mas hoje já mudou. Está atraindo atenção de quem está lá fora. O campeonato italiano já não é mais o mesmo sem os brasileiros. Até os clubes sabem disso.

Por: João Gabriel Rodrigues

veja também