MENU

Com 8, Santos segura 'derrota válida' contra o Santo André e fatura título

Com 8, Santos segura 'derrota válida' contra o Santo André e fatura título

Atualizado: Domingo, 2 Maio de 2010 as 6:14

O Santos entrou em campo neste domingo, no Pacaembu, podendo perder por até um gol para ser campeão. Mas em vez de um novo show dos Meninos da Vila, o que se viu foi um Santo André altamente eficiente, uma decisão dramática e um Santos esfacelado após três expulsões. O regulamento do Paulista foi decisivo. Mesmo derrotado por 3 a 2, o time da Baixada conquistou seu 18° título estadual.

O duelo no Pacaembu teve altas doses de tensão, com direito a bola na trave de Rodriguinho nos minutos finais, tento que poderia dar o título ao Santo André. O Santos terminou a partida com apenas oito jogadores em campo. O Santo André perdeu um.

Os 45 min iniciais da decisão enterraram quaisquer projeções de um duelo teoricamente tranquilo para o Santos, que havia vencido o primeiro jogo da final por 3 a 2, no mesmo estádio.

Um breve resumo explica melhor o “pegado” primeiro tempo: cinco gols (três do Santo André e dois do Santos), um gol anulado, bola na trave, três expulsões, seis amarelos e muita reclamação.

Não houve tempo para o Santos respirar no começo do jogo. A torcida alvinegra ainda exaltava o ídolo Giovanni quando o Santo André abriu o marcador, com apenas 30 segundos de jogo. Cicinho foi acionado no ataque, driblou Felipe e chutou ao gol. Nunes encostou na bola antes de cruzar a linha.

O gol do time do ABC assustou os santistas. Pela esquerda, o time da Vila tratou de ameaçar o rival. O empate não tardou.

Recuperado de um ferimento no olho direito, Neymar justificou o clamor da torcida santista e de outras equipes, que pede sua convocação à Copa do Mundo.

Aos 7 min do primeiro tempo, o camisa 11 do Santos marcou um gol antológico. Neymar recebeu passe de Robinho, invadiu a área, driblou o goleiro Julio César e mais dois marcadores antes de finalizar.

A necessidade de vencer por boa margem de gols impulsionou o Santo André, que envolvia a defesa santista com Rodriguinho e Nunes. O goleiro Felipe passava apuros. Uma bola na trave em sua meta e um gol anulado do Santo André pela arbitragem aumentaram o nervosismo da partida.

A pressão andreense fez efeito. Em cobrança de escanteio, Alê cabeceou, recolocando o time do ABC à frente, 2 a 1.

A decisão, que já estava tensa, sofreu nova faísca pouco após o segundo gol do Santo André. Nunes e Léo se desentenderam na lateral. Sálvio Spinola expulsou os dois jogadores.

O Santos apresentava melhor qualidade técnica; o Santo André respondia com impressionante organização e aplicação em campo.

Do pé de outro queridinho da torcida nacional, Paulo Henrique Ganso, a equipe alvinegra chegou ao 2 a 2. Ganso, na verdade, “lapidou” o segundo gol de Neymar na partida, dando o passe de letra para o camisa 11 marcar.

Aos 37 min, o Santos ficou com nove em campo. Marquinhos cometeu falta violenta no meio-campo, sendo expulso.

O Santo André foi premiado no final da primeira etapa. Bruno César novamente pôs o time do ABC à frente. Sálvio Spínola encerrou a agitada primeira etapa aos 47 min.

O segundo tempo começou no mesmo ritmo alucinante da etapa anterior. Rodriguinho driblou Felipe e chutou. Arouca salvou em cima da linha.

Inferior numericamente em campo, o Santos passou a priorizar a defesa, ameaçando esporadicamente o rival no ataque. Robinho atuava ora como atacante ora como lateral direito, impedindo o avanço de Carlinhos. Já o Santo André tinha maior controle de jogo, explorando a velocidade de Rodriguinho.

Dorival trocou Robinho pelo atacante André durante a segunda etapa. Com a mudança, Neymar passou a ficar mais próximo da linha do meio-campo.

A estratégia de segurar o resultado ficou evidente pouco depois da saída de Robinho. Neymar deu lugar a Roberto Brum. O volante, porém, não durou muito em campo. Ele foi expulso após carrinho no meio-campo. Imediatamente depois da perda de Brum, Dorival sacou André para a entrada do zagueiro Bruno Aguiar.

Ganso segurava a bola no ataque. O Santo André, por sua vez, ameaçava se aventurou no ataque. O time do ABC por pouco não alcançou os 4 a 2 de que precisava. Nos minutos finais, Rodriguinho acertou a trave, última chance de o Santo André no jogo.

veja também