MENU

Com ajuda de 'vovô' cubano, Brasil fatura medalha de prata no remo

Com ajuda de 'vovô' cubano, Brasil fatura medalha de prata no remo

Atualizado: Quarta-feira, 19 Outubro de 2011 as 8:25

Saiu a primeira medalha do remo brasileiro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. E para isso foi preciso ajuda de um cubano. Alexis Árias Mestre, que se naturalizou em 1998, e João Borges Júnior conquistaram a prata na categoria dois sem timoneiro masculino. O ouro foi para os Estados Unidos.

Remando na raia quatro, os brasileiros estiveram a prova inteira na zona do pódio. Após completarem o primeiro quilômetro na segunda posição, eles foram ultrapassados pelos mexicanos a 500 metros do fim. Porém, ainda tiveram forças para retomar o segundo posto e garantir a medalha. A diferença para os campeões foi pequena: pouco mais de um segundo.

Alexis Mestre e João Borges Júnior conquistaram a primeira medalha brasileira no remo (Foto: Agência AFP)  

A prata será duplamente comemorada por Alexis. Além de ser véspera de seu aniversário - ele completa 42 anos nesta quarta -, o remador acaba de conquistar sua primeira medalha pan-americana defendendo o Brasil. Por Cuba, ele já havia sido ouro em Indianápolis-1987, Havana-1991 e Mar del Plata-1995. Apesar de ter se naturalizado brasileiro no final dos anos 90, Alexis tinha contrato com Cuba até 2005. Sendo assim, não pode competir pelo Brasil em Winnipeg-1999 e Santo Domingo-2003.

Veja a classificação final da prova: 1) Robert Otto / Michael Gennaro (EUA) - 6min47s07

2) João Borges Jr. / Alexis Mestre (BRA) - 6min48s74

3) Peter McClelland / Steven Van Knotsenburg (CAN) - 6min50s80

4) Leopoldo Tejada / Omar Tejada (MEX) - 6min55s63

5) Yenser Basilio / Dionnis Carrion (CUB) - 6min59s60

6) Lorenzo Candia / Micguel Cerda (CHI) - 6min59s88

Incidente com barco brasileiro A primeira final do dia no remo estava marcada para 12h08m (de Brasília). Porém, a embarcação brasileira de Thiago Gomes e Ronaldo Vargas, do duplo skiff, atingiu o barco dos mexicanos Alan Armenta e Gerardo Sánchez. Inicialemnte, os anfitriões levaram a pior, pois precisaram trocar o barco. Porém, mais tarde, Armenta e Sánchez garantiram outro ouro para os donos da casa. Já a dupla do Brasil, que não teve o equipamento trocado, ficou em quinto. Nas outras decisões em Ciudad Guzmán, Kissya Costa terminou o skiff simples em quinto lugar, fazendo um tempo 11 segundos inferior ao realizado na eliminatória. Em seguida, foi a vez de Luciana Granato e Camila Carvalho. A dupla ficou em sexto no skiff leve.          

veja também