MENU

Com alas rivais em alta, Romano se inspira em seu empresário: Athirson

Com alas rivais em alta, Romano se inspira em seu empresário: Athirson

Atualizado: Quarta-feira, 24 Agosto de 2011 as 9:07

Romano se inspira em Athirson (Foto: Divulgação)

  Homem das bolas paradas e principal cruzador do Avaí ao lado de Pedro Ken, o lateral-esquerdo Romano tem se apresentado em bom nível no Campeonato Brasileiro. As boas atuações, porém, têm sido ofuscadas pela péssima fase do Leão, penúltimo colocado, com apenas 14 pontos. Questionado se o bom momento dos alas rivais Bruno Vieira (direito) e Juninho (esquerdo) - eleitos para a seleção do Troféu Armando Nogueira em quatro rodadas - o inspira, o camisa 6 avaiano reconheceu o talento dos jogadores do Figueirense, mas revelou se espelhar mesmo é em seu empresário, Athirson (saiba mais sobre a nova função do ex-flamenguista) .

- Conheci o Bruno quando atuávamos pelo Juventude. É um bom jogador, começou como meia e já tem qualidade há um bom tempo. Graças a Deus está numa fase excelente. O Juninho estou conhecendo agora e também é bom. Apesar de rivais, tento tirar o melhor deles para também crescer. Mas minha maior inspiração é no meu empresário, o Athirson, que é um grande lateral e um dos maiores ídolos do Flamengo. Ele conversa comigo e sempre me dá dicas - revelou, em entrevista por telefone.      A amizade com Athirson, segundo Romano, nasceu na Portuguesa, onde atuaram juntos. Dos tempos de Lusa, ele recorda o apoio que recebeu do companheiro antes mesmo de se tornar cliente dele.

- Conheci o Athirson no ano passado. Tive problemas com meu ex-empresário e pedi opiniões ele, que me indicou o caminho certo. E mais: nunca me cobrou nada, só me auxiliando. Sabia que estava começando a carreira de empresário e passei a trabalhar com ele no fim de 2010. Ele e o Fábio Buratta (advogado e sócio de Athirson) têm sido muito importantes para mim. Enfim, ele é um cara fora de série, expecional e humilde. Além disso, jogou pela Seleção e pelo Flamengo. Quer inspiração melhor? - indagou.     Embora reconheça a boa fase dos laterais alvinegros, o camisa 6 do Leão se autoavalia de maneira positiva, mas concorda que o momento de sua equipe não ajuda.

- Acho que tenho feito boas partidas, mas infelizmente as coisas estão difíceis para a gente. Com o novo treinador, vamos lutar muito para tirar o Avaí dessa situação - prometeu.     Perguntado se a responsabilidade de ter assumido as bolas paradas após a saída de Marquinhos (hoje no Grêmio) o incomoda, Romano garantiu que não e mostrou gosto pela função.

- Pelo Veranópolis, bola parada era comigo. A Portuguesa tinha seus cobradores, aqui no Avaí havia o Marquinhos... Quando ele saiu, o Gallo (demitido na semana passada) me pediu para bater junto com o Pedro Ken. Nós dois revezamos e gosto de cobrar direto para o gol em faltas pelo lado direito, com o pé invertido. Eu gosto de fazer isso - concluiu.          

veja também