MENU

Com alterações precisas, Tite supera vaias e faz Timão voltar embalado

Com alterações precisas, Tite supera vaias e faz Timão voltar embalado

Atualizado: Quarta-feira, 23 Novembro de 2011 as 11:09

Há mais de um ano no cargo, Tite nunca conseguiu ser unanimidade no Corinthians. Na mira de conselheiros e torcedores, principalmente pela eliminação precoce na Taça Libertadores, o técnico só sobreviveu a momentos de turbulência graças à confiança do presidente Andrés Sanches. Entretanto, na reta final do Campeonato Brasileiro, o treinador mostra que também acumula seus méritos para colocar o Timão como o grande favorito ao título. Das últimas quatro vitórias da equipe, três vieram dos pés de jogadores colocados pelo técnico durante das partidas.

- Eu sempre falo para os jogadores trabalharem porque a oportunidade de decidir pode cair no colo deles, e vou botar (em campo). Cada um tem de assumir sua parcela. Por isso, é importante colocar intensidade nos treinamentos. Quanto melhor treinar, mais preparado vai estar para o jogo - afirmou.

Tite fala com o grupo do Timão: todos podem ter chances (Foto: Luis Moura / Agência Estado) As mudanças de Tite foram determinantes nas duas mais recentes vitórias do Corinthians no Brasileirão, resultados que colocaram a equipe bem perto do título. Contra o Ceará, em Fortaleza, o peruano Ramírez saiu do banco para marcar o gol da vitória. O mesmo aconteceu com Adriano, domingo passado, diante do Atlético-MG. Antes, Emerson havia sido decisivo na virada sobre o Avaí, em São Paulo, com um jogador a menos que o adversário.

- Primeiro vem a observação do técnico. Quando você conhece os atletas, vai sabendo da característica de cada um. No Ceará, não estávamos construindo. Não adiantava botar cinco antes. Quem tínhamos? Morais e Ramírez. No último jogo, a ideia foi mudar a estrutura de três atacantes porque o Cuca fez uma marcação individual. Ficamos com dois atacantes jogando em cima dos zagueiros - explicou o comandante. Apesar dos acertos nos últimos jogos, Tite ainda não tem de conviver com a cobrança da torcida. No último domingo, mesmo colocando Adriano em campo, o treinador foi criticado por parte dos torcedores presentes no Pacaembu por tirar Willian da equipe. A alteração, aliás, motivou o treinador a conversar com o jogador na atividade de terça-feira, no CT Joaquim Grava, para explicar a troca.

- Não é falta de paciência da torcida. É a emoção do jogo, a vontade de ganhar o título. Preciso compreender o sentimento do torcedor. Ele quer que o time ganhe, que conquiste o título. A única vaia que não concordo foi com aquela do jogo que segurei para colocar o Adriano quando estava 3 a 0 contra o Atlético-GO – ressaltou.

Sheik é um dos grandes aliados do técnico em mudanças. No primeiro turno, também contra o Atlético-MG, o Timão perdia por 2 a 0 quando Emerson entrou no segundo tempo, fez um gol e foi decisivo para a vitória por 3 a 2. Ele também teve papel determinante partindo do banco de reservas nos triunfos contra Internacional (1 a 0) e Flamengo (2 a 1). Danilo, contra o Grêmio (2 a 1, em Porto Alegre), e Alex, frente ao América-MG (2 a 1, no Pacaembu), são outras duas peças importantes em alterações táticas. Tite não acredita em sorte para obter bons resultados e evita qualquer discurso de empolgação faltando apenas dois jogos para o Brasileirão acabar. O Corinthians pode ser campeão já no próximo domingo, contra o Figueirense, às 17h, em Florianópolis. Basta vencer e torcer para o Vasco tropeçar diante do Fluminense.

- Essa possibilidade (de título) é matemática, real. Temos de conseguir administrar essas perguntas sobre poder ser campeão. Eu já tenho experiência para não contar com o título antecipado – completou.      

veja também