MENU

Com força máxima, Peixe vai para cima do Guarani

Com força máxima, Peixe vai para cima do Guarani

Atualizado: Quarta-feira, 14 Abril de 2010 as 12

O Santos trocou o chip. Chegou a hora de se desligar das semifinais do Paulistão para se concentrar nas oitavas de final da Copa do Brasil. Se no estadual o desempenho do Peixe impressiona (com média 3,2 gols por jogo), na competição nacional, o Alvinegro consegue ser ainda mais arrasador: foram 15 gols marcados e nenhum sofrido em três jogos. Será o Guarani capaz de brecar esse embalo? A resposta começa a ser dada nesta quarta-feira, a partir das 21h50m (horário de Brasília), na Vila Belmiro. O jogo de volta está marcado para a quarta que vem, em Campinas

O caminho do Alvinegro na Copa do Brasil, até o momento, tem sido tranquilo. Na primeira fase, pegou o Navirianese-MS. Fez 1 a 0 no jogo de ida, em Campo Grande, atrapalhado pelo o péssimo estado do gramado do estádio Morenão. Na volta, aplicou 10 a 0: a maior goleada da competição até agora. Depois, pegou o Remo-PA, na segunda fase, e já goleou logo na ida: fez 4 a 0 em Belém e eliminou o jogo da volta.

Já o Bugre teve muito mais dificuldades. Passou pelo Araguaína-TO, vencendo o primeiro jogo por 2 a 1 e o segundo por 1 a 0. Contra o Fortaleza, na segunda rodada, perdeu na ida por 2 a 0, devolveu o placar na volta e venceu nos pênaltis por 4 a 3.

Força máxima

O técnico Dorival Júnior, do Santos, não quer saber de priorizar competições. Por isso, mesmo a quatro dias do jogo decisivo contra o São Paulo, pelas semifinais do Paulistão, vai mandar a campo nesta quarta todos os seus titulares, na formação ofensiva que utilizou no primeiro San-São das semi, domingo passado: o meia Wesley segue improvisado na lateral-direita, Arouca será o único volante. Na frente, o trio Robinho, Neymar e André.

A formação sugere muitos gols, mas o treinador pede cautela. Ele afirma que o Guarani, mesmo não vivendo uma grande fase, é sempre adversário perigoso.

- Eles estão treinando há 15 dias só pensando nesse jogo. Será uma partida dura. Dificilmente haverá vitória por larga margem, de um lado ou de outro.

Ferrolho verde

O Guarani passa por fase complicada. Apesar de ter sido recentemente promovido à Série A do Brasileirão, o Bugre limitou-se a brigar para não ser rebaixado à Série A-3 do Paulistão neste ano. Para completar, o técnico Vadão foi demitido. Nesta quarta, a equipe campineira será dirigida pelo interino Waguinho Dias.

A ideia do treinador temporário é tentar evitar que o time santista resolva as coisas logo no primeiro jogo. Por isso, vai armar um ferrolho com três zagueiros e seis jogadores no meio de campo. Na frente, apenas o atacante Anderson Costa.

veja também