MENU

Com Love chateado, Patricia Amorim sugere: 'Deixa a vida me levar'

Com Love chateado, Patricia Amorim sugere: 'Deixa a vida me levar'

Atualizado: Terça-feira, 27 Setembro de 2011 as 9:29

Patricia diz que não tem falado ultimamente com

Love (Foto: Marcelo Jesus / GLOBOESPORTE.COM)

  Vagner Love já faz planos para deixar o frio da Rússia, onde está há oito anos, e voltar ao Brasil. Mas o calor humano para receber o atacante está longe do Flamengo. O jogador - que disse ter ficado chateado com o Rubro-Negro por conta da condução da negociação no primeiro semestre - parece não fazer parte dos planos do clube.

Sem se estender no assunto, a presidente Patricia Amorim usou um samba cantado por Zeca Pagodinho para comentar a situação.

- Sou até suspeita para falar do Love, pois adoro ele. O problema é que os valores para trazer o jogador são monstruosos. Nós tentamos.É complicado... Deixa a vida me levar - declarou a presidente do Flamengo.

Nesta segunda-feira, na Rússia, Love declarou:

- Fiquei chateado com o Flamengo. Não foi com uma pessoa específica, mas como a maneira como a coisa foi encaminhada. Ouvi uma coisa lá no Brasil, e quando cheguei aqui não era bem aquilo. Cansei. Não vou ficar aqui peitando sozinho. Quem me quiser vai ter que vir aqui sentar com o clube e negociar - afirmou o jogador, que no primeiro semestre fez de tudo para deixar o clube e acertar com o Flamengo.

A oferta oficial do Flamengo para ter o jogador foi feita no dia 6 de abril. No fax enviado aos russos, o Rubro-Negro se propôs a pagar R$ 11,6 milhões parcelados por 70% dos direitos econômicos de Love.

O CSKA pedia R$ 17,6 milhões. Segundo Love, o clube aceitaria discutir valores, mas o Rubro-Negro não levou a negociação adiante.

À época, o atacante declarou que a proposta do Flamengo foi baixa, que a diretoria teria que se mexer e chegou a dizer que, se não voltasse para a Gávea, não acertaria com outro clube brasileiro, e ficaria no CSKA até o fim do seu contrato, em 2014.

Agora, diante da decepção com o Flamengo, Love quer voltar para o Brasil, independentemente das cores que defenderá.

- Ainda troco mensagens com o Ronaldinho e o Léo Moura, com meus amigos no clube. Mas não é mais do mesmo jeito. Não falo mais com tanta frequência com o pessoal do Flamengo - disse Love.

E no celular de Patricia Amorim não chegam mais mensagens de Love.

- Não tenho recebido nenhuma - revelou a dirigente.            

veja também